Sexta-feira, 19 de Agosto de 2022

“O original é de Santa Maria de Émeres”

Freguesia de Valpaços recebeu a quarta edição da festa onde o bolo podre foi rei e senhor. Produtores já sugerem a certificação deste que é o produto para proteger a sua verdadeira origem.

-PUB-

Farinha, chá de canela com laranja, ovos, azeite, margarina, açúcar e fermento, são alguns dos ingredientes que são necessários para confecionar o bolo podre, “que de podre não tem nada, antes pelo contrário”, frisou Raquel Alcoforado, uma das produtoras que esteve presente na Festa do Bolo Podre, em Santa Maria de Émeres. “Eu quando era pequenina sonhava com a Páscoa para o comer”, confessou Raquel que, hoje em dia, já não sonha tanto, até porque é confecionado todo o ano. 

Sobre se existe segredo para um bom bolo podre, Raquel diz que “há com certeza, mas não lho vou dizer”. Já Marilda Malta, também especialista na confeção desta iguaria pascal, revela que “não há segredo nenhum”

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.