Quinta-feira, 6 de Maio de 2021

Produtor “desesperado” pede ajuda para escoar produto

Francisco Mateus, de Mogadouro, é produtor de cogumelos e lançou, nas redes sociais, um pedido de ajuda para escoar três toneladas de produto que tem armazenado, devido à diminuição do consumo em Lisboa e Porto, os seus principais mercados.

"Houve retração nos mercados de Lisboa e Porto, porque a restauração está praticamente encerrada. Outras das situações registadas foi o açambarcamento de produtos alimentares por parte dos consumidores, no início das primeiras notícias sobre a proliferação do coronavírus em Portugal, o que levou a que se verificasse uma pausa na aquisição de produtos alimentares nas superfícies comerciais", explicou Francisco Mateus, à Agência Lusa.

A empresa tem uma capacidade produtiva de quatro toneladas de cogumelos, por semana, sendo 70% da produção absorvida pelo mercado da Grande Lisboa e 30% pelo Grande Porto.

O produtor mostra-se "desesperado" e lançou um apelo na rede social Facebook para tentar escoar os cogumelos que estão armazenados nas câmaras frigoríficas e que rondam as três toneladas. Ainda em produção estão cerca de cinco toneladas que vão engrossar o 'stock'.

Segundo o produtor, na empresa está em curso um novo ciclo de produção que não pode ser interrompido, "devido aos prejuízos que iria causar no imediato", sendo por isso necessário colocar o produto no mercado "de forma urgente".

"Esta semana, verificámos que o consumo de bens alimentares está muito abaixo daquilo que era esperado para esta altura do ano, situação que levou à acumulação de produto em armazém. Temos um novo ciclo de produção em curso que não podemos interromper, dado que traria mais prejuízos à empresa ", indicou o empresário.

O produtor indica que os cogumelos são um produto que não se consegue conservar por muito tempo, "o que vem piorar a situação económica da empresa num futuro próximo"

Para o responsável, esta situação "é muito preocupante" já que se trata de um produto "muito perecível" e que só se aguenta cerca de uma semana em câmaras frigoríficas".

"Estamos a atravessar um cenário que ninguém estava à espera e o futuro é incerto", vincou.

O empresário indicou ainda que as regras de pagamento dos fatores de produção que são importados de Espanha mudaram e ninguém faz uma encomenda de composto para a produção de cogumelos "sem pagar adiantado".

"Aquilo que era normal era pagar antes de carregar. Atualmente, para garantir o composto de produção de maio, teria de o pagar hoje. Se não estamos a conseguir liquidez porque não há vendas, agora com esta antecipação pegamento, as coisas pioram", concretizou Francisco Mateus, garantindo, porém, que logo que pandemia da covid-19 abrande, retomará a produção a 100%.

 

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.