Quarta-feira, 20 de Outubro de 2021

PSP e GNR detiveram 101 pessoas e encerraram 226 estabelecimentos por desobediência

A PSP e a GNR detiveram, desde o início da terceira fase do Estado de Emergência, 101 pessoas por desobediência e encerraram 226 estabelecimentos comerciais por incumprimento das normas estabelecidas, informou o Ministério da Administração Interna (MAI).

-PUB-

O MAI adianta, em comunicado, que até às 17:00 de hoje, entre as 101 pessoas detidas estão 34 por desobediência à obrigação de confinamento obrigatório, uma pessoa por desobediência ao dever especial de confinamento, 48 por desobediência ao dever geral de recolhimento domiciliário, sete por desobediência ao encerramento de instalações e estabelecimentos, uma por desobediência às regras de funcionamento do comércio a retalho, três por desobediência às regras de funcionamento na prestação de serviços e sete por resistência/coação.

Estes números juntam-se aos verificados nos dois primeiros períodos de Estado de Emergência: No primeiro período, que vigorou entre 22 de março e 02 de abril, quando se registaram 108 detenções por crime de desobediência e foram encerrados 1.708 estabelecimentos comerciais; no segundo período, que vigorou entre os dias 3 e 17 de abril, registaram-se 184 detenções por crime de desobediência e foram encerrados 432 estabelecimentos comerciais.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou cerca de 212 mil mortos e infetou mais de três milhões de pessoas em 193 países e territórios. Mais de 832 mil doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 948 pessoas das 24.322 confirmadas como infetadas, e há 1.389 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.