Terça-feira, 6 de Dezembro de 2022
No menu items!
0,00 EUR

Nenhum produto no carrinho.

Teatro de Vila Real obriga Festival de Jazz a mudar de nome

Depois de três edições do “Douro Jazz”, a organização do evento foi confrontada com a criação do “Jazz’n’Douro”, um evento organizado pelo Município gaiense que, segundo Vítor Nogueira, com essa denominação, põe em causa a marca do festival vila-realense que, em 2006, contou com 30 concertos e envolveu cerca de 4.000 espectadores. A ideia nasceu […]

PUB

Depois de três edições do “Douro Jazz”, a organização do evento foi confrontada com a criação do “Jazz’n’Douro”, um evento organizado pelo Município gaiense que, segundo Vítor Nogueira, com essa denominação, põe em causa a marca do festival vila-realense que, em 2006, contou com 30 concertos e envolveu cerca de 4.000 espectadores.

A ideia nasceu como “Jazz’n’Douro”. Agora, devido a providência cautelar interposta pelo Teatro de Vila Real e pela Culturval, o Festival Internacional de Vila Nova de Gaia que decorre até ao dia 31 vai responder pelo nome de “Jazz’n’Gaia”.

“Assim que tivemos conhecimento da organização do festival, no início de Março, sugerimos à empresa Gaianima e ao Pelouro da Cultura da autarquia de Vila Nova de Gaia que mudassem a denominação do festival, para evitar disputas jurídicas”, garantiu, ao Nosso Jornal, Vítor Nogueira, Director do Teatro de Vila Real.

Sem qualquer resposta, por parte da Câmara Municipal de Gaia ou da empresa municipal, e tendo conhecimento de que o festival teria sido apresentado, publicamente, sob a denominação “Jazz’n’Douro”, o Teatro de Vila Real e a Culturval apresentaram, no dia 22, no Tribunal de Gaia, uma providência cautelar, para impedir que aquele Festival de Jazz se realizasse.

No dia 23, a processo foi travado, com a garantia dos responsáveis pelo festival gaiense de que o nome seria alterado para “Jazz’n’Gaia”, permitindo, assim, a realização do festival que terá início, hoje, com o espectáculo de Maria João que levará ao Auditório de Vila Nova de Gaia o seu primeiro concerto da digressão de lançamento do seu mais recente disco a solo.

“Registámos a marca «Douro Jazz» e temos um investimento de trabalho e financeiro muito grande, na realização do festival”, frisou o Director do Teatro vila-realense, justificando a posição tomada pela Culturval, em defesa da organização que, na sua quarta edição, se realizará, novamente, na altura das vindimas, entre os meses de Setembro e Outubro.

O Festival Internacional “Douro Jazz” que teve a sua primeira edição em 2004, com o objectivo de aliar a música de Jazz às vindimas, foi ganhando mais espaço, ao longo dos últimos três anos, com o desenvolvimento de mais parcerias e a descentralização dos espectáculos de Vila Real e Régua para Bragança, Chaves e Lamego.

 

Maria Meireles

PUB

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.