Sexta-feira, 15 de Outubro de 2021

Tratamento “diminui rachamento da cereja em 50 por cento”

Uma estratégia inovadora permite reduzir em “50 por cento o rachamento da cereja” e melhorar o aspeto visual do fruto.

-PUB-

Esta foi a principal conclusão de um estudo de Sofia Correia, do Centro de Investigação e Tecnologias Agroambientais e Biológicas (CITAB) da UTAD.

Em comunicado, a investigadora explicou que a metodologia consistiu em repetidas pulverizações de cálcio, e cálcio conjugado com outras substâncias tendo os tratamentos foliares “reduzido o rachamento”, que foi “menor nos frutos tratados com cálcio conjugado com ácido abscísico e glicina-betaína”.

Este tipo de rachamento afeta normalmente grande parte do volume da cereja, o que “representa um aspeto importante na rejeição do fruto por parte do consumidor”, por isso “há necessidade de produzir frutos de grande qualidade”, devido à elevada importância económica da cereja para a região transmontana.

As aplicações com ácido abscísico e glicina-betaína

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.