Quarta-feira, 17 de Agosto de 2022

Uma grande manifestação pública de fé

Os bispos católicos de Portugal pediram que as comunidades do país fizessem da celebração da solenidade do Corpo de Deus, que se assinalou este domingo por todo o país, fosse uma “grande manifestação” pública da sua fé. Os seus pedidos não caíram em saco roto e na realidade o apelo foi correspondido.

-PUB-

No distrito de Vila Real, em vários concelhos, decorreram cerimónias alusivas e que constituíram testemunhos de fé.

Em termos nacionais, D. António Carrilho, bispo do Funchal, falou desta festa como um “marco religioso e cultural de imenso significado, longa e rica tradição”.

Não sendo feriado, o “dia tradicional próprio”, na última quinta-feira, a celebração foi transferida para o domingo seguinte, como aconteceu em vários países.

A suspensão de dois feriados católicos (Corpo de Deus e Todos os Santos) em Portugal foi acordada em 2012 após um “entendimento excepcional” entre a Santa Sé e o Governo, válido por cinco anos.

D. António Couto, bispo de Lamego, escreveu à diocese para falar de um “Dia Grande” em que após a Missa na catedral local decorreu a “solene e já tradicional procissão Eucarística de bênção nova e de amor novo e maior pelas principais artérias” da cidade.

“Para esta grande manifestação de fé, todos os párocos e fiéis das paróquias da cidade e do arciprestado de Lamego são chamados a participar, para fazermos desta celebração uma intensa celebração de fé”, acrescenta.

A Diocese de Coimbra, a respeito desta solenidade litúrgica, convidou os católicos a celebrar “de modo alegre e festivo, a entrega de Cristo na Cruz, antecipada na última ceia de Jesus com os seus discípulos”.

Recorde-se que, a Solenidade Litúrgica do Corpo e Sangue de Cristo começou a ser celebrada há mais de sete séculos, em 1246, na cidade de Liège, na atual Bélgica, tendo sido alargada à Igreja latina pelo Papa Urbano IV através da bula ‘Transiturus’, em 1264, dotando-a de missa e ofício próprios.

A “comemoração mais célebre e solene do Sacramento memorial da Missa” (Urbano IV) recebeu várias denominações ao longo dos séculos: festa do Santíssimo Corpo de Nosso Senhor Jesus Cristo; festa da Eucaristia; festa do Corpo de Cristo.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.