Quinta-feira, 30 de Junho de 2022

UTAD desenvolve alcoolímetro portátil

Tese de mestrado do curso de Engenharia Eletrotécnica e Computadores desenvolveu um alcoolímetro portátil que pode ser incorporado num smartwatch.
 

Uma aluna do curso de Engenharia Eletrotécnica e Computadores da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) desenvolveu um alcoolímetro portátil que pode ser incluído num smartwatch.

O projeto resulta de uma tese de mestrado, cujo objetivo inicial era criar um protótipo de alcoolímetro na área da tecnologia wearable, e que seria incorporado no próprio vestuário.

A ideia partiu do seu orientador, Lio Gonçalves, docente da UTAD e investigador do INESC TEC, que julgou ser importante conceber uma aplicação “que tenha verdadeiramente impacto na comunidade”. E foi assim que nasceu o projeto de um protótipo integrado num smartwatch que permite fazer o teste da alcoolemia, em qualquer local e em qualquer altura.

Para isso basta incluir um sensor no smartwatch, acompanhado de um software que faz as medições do consumo. 

O professor da UTAD sublinha que este sensor permite também medir outros componentes como o monóxido de carbono, e explica que “quando o utilizador sopra para o sensor, as moléculas de etanol suspensas vão reagir com o óxido de estanho e provocar uma alteração na resistência elétrica que vai variar a corrente elétrica”. A partir destes dados e de fórmulas matemáticas, é possível chegar-se à taxa de alcoolemia.

“A tecnologia está em grande desenvolvimento e já ninguém dispensa o seu uso em quase todas as tarefas do dia a dia. Existem diversos sensores nos nossos smartphones, acelerómetro, giroscópio, entre outros, mas um que não existe e que pode existir no futuro é justamente um sensor de álcool”, revelou Lio Gonçalves, explicando que foi desta forma que lhe surgiu a ideia, frisando que “um smartwatch ou um smartphone com um sensor de álcool poderia ter um grande impacto na prevenção rodoviária”.

“Esta aplicação ainda é um protótipo mas quando se conseguir a miniaturização pode ser muito útil para que os utilizadores possam saber em tempo real qual a sua taxa de alcoolemia”, frisou.

O docente do Departamento de Engenharias da Escola de Ciência e Tecnologia diz que “com essa informação podem tomar-se melhores decisões e evitar acidentes rodoviários, podendo ainda ser usada para monitorizar o consumo em pacientes com dependências de álcool”.

Foi também desenvolvida uma aplicação em ANDROID para se poder fazer o emparelhamento com o dispositivo e com isso registar as leituras, sendo que o histórico do consumo pode depois ser fornecido ao médico numa folha de cálculo.

A tese de mestrado foi co-orientada pelo professor Raul Morais dos Santos, professor do Departamento de Engenharias da UTAD e investigador do INESC TEC.

 

Depoimentos

 

Lio Gonçalves, Professor Orientador

 “Um smartwatch ou um smartphone com um sensor de álcool poderia ter um grande impacto na prevenção rodoviária”.

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.