Domingo, 1 de Agosto de 2021

1.492 mortos e 35.306 infetados

Portugal regista hoje 1.492 mortes relacionadas com a covid-19, mais sete do que na segunda-feira, e 35.306 infetados, mais 421, segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde.

-PUB-

Em comparação com os dados de segunda-feira, em que se registavam 1.485 mortes, hoje constatou-se um aumento de óbitos de 0,5%. Já os casos e infeção subiram 1,2%.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo (13.608), onde se tem registado maior número de surtos, há mais 386 casos de infeção (+2,9%).

A região Norte continua a registar o maior número de infeções, totalizando 16.967, seguida pela região de Lisboa e Vale do Tejo, com 13.608, da região Centro, com 3.837, do Algarve (389) e do Alentejo (273).

A região Norte continua também a ser a que regista o maior número de mortos (809), seguida da região de Lisboa e Vale do Tejo (408), do Centro (244), do Algarve e dos Açores (ambos com 15) e do Alentejo, que regista um óbito, adianta o relatório da situação epidemiológica, com dados atualizados até às 24:00 de segunda-feira, mantendo-se a Região Autónoma da Madeira sem registo de óbitos.

A caracterização clínica dos casos confirmados indica que 394 doentes estão internados em hospitais, mais 28 do que na segunda-feira (+7,7%), dos quais 65 em Unidades de Cuidados Intensivos (mais 10, +18,2%).

Desde o dia 01 de janeiro, registaram-se 342.060 casos suspeitos, dos quais 1.618 aguardam resultado dos testes.

Há 305.136 casos em que o resultado dos testes foi negativo, refere a DGS, adiantando que o número de doentes recuperados subiu para 21.339 (mais 183).

A DGS regista também 30.176 contactos em vigilância pelas autoridades de saúde.

 

 

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.