Terça-feira, 6 de Dezembro de 2022
No menu items!
0,00 EUR

Nenhum produto no carrinho.

A primeira Misericórdia a comercializar vinho do Douro

A Santa Casa da Misericórdia de Lamego vai produzir vinho do Douro que será comercializado em meados deste ano. As receitas servirão para investimentos em projectos sociais da instituição.   É o primeiro vinho de uma Misericórdia, a ser produzido, no Douro. O projecto é da Santa Casa de Misericórdia de Lamego que vai lançar, […]

PUB

A Santa Casa da Misericórdia de Lamego vai produzir vinho do Douro que será comercializado em meados deste ano. As receitas servirão para investimentos em projectos sociais da instituição.

 

É o primeiro vinho de uma Misericórdia, a ser produzido, no Douro. O projecto é da Santa Casa de Misericórdia de Lamego que vai lançar, no mercado, até Maio deste ano, um “branco” e “um tinto”, com Denominação de Origem Controlada, DOC. O “berço” destes vinhos é a Quinta dos Lagares, em S. João de Lobrigos (Santa Marta de Penaguião), cujos vinhedos, misto de cepas velhas e novas, dada a sua situação geográfica, conferem algumas interessantes particularidades organolépticas aos vinhos obtidos.

Os vinhos, oriundos das colheitas de 2005 e 2006, são constituídos por um monovarietal tinto de touriga nacional e outro tinto com várias castas tradicionais do Douro. Nomeadamente, Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz e Tinta Barroca. São vinhos “com corpo” e cujas graduações podem chegar aos catorze graus/álcool. Relativamente ao branco, trata-se de uma malvasia fina, o que lhe empresta um aroma a fruta, cor citrina e agradável na boca.

“Temos tudo preparado, para que, em breve prazo, tenhamos a autorização do Instituto dos Vinhos do Douro e Porto IVDP, para a sua comercialização, e para que, até Maio, o vinho possa ser vendido, ao público, em garrafa e “bag in box” – disse-nos o Provedor da Santa Casa de Misericórdia de Lamego, José Lopes.

A Santa Casa de Misericórdia produz, também, um generoso de “meia-idade”, recolhido em vinhas velhas da quinta, há cerca de quinze anos e cuja produção é muito reduzida, ficando como “reserva da casa”. A marca comercial adoptada será “Quinta dos Lagares”, estando à espera de ser aprovada, pelas entidades competentes.

“A quinta tem vinte e seis hectares, toda ela foi reestruturada e mecanizada e foi um investimento recente que rondou os cerca de cem mil euros” – acrescentou José Lopes. Antes, já tinha sido alvo de um primeiro projecto de remodelação, extensivo a duas parcelas” – adiantou.

A quinta está bem situada, numa zona de excelência, produtora de vinhos do Douro, estendendo-se na direcção de Régua e Medrões. Além de uma estrutura de comercialização, em vias de ser organizada, será contratada uma empresa para o engarrafamento dos vinhos. De referir que a produção de vinho da Santa Casa de Misericórdia de Lamego é de cerca de vinte pipas, sendo o tinto predominante, em cerca de setenta por cento. O objectivo desta iniciativa será uma mais-valia para esta instituição, já que o valor da sua comercialização terá como objectivo a angariação de receitas, para investimento social.

 

Jmcardoso

PUB

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.