Quarta-feira, 17 de Agosto de 2022

Antiga escola primária em Ermelo ganha vida nova com diversas valências

Meio século depois, um membro de um governo volta a esta localidade do concelho de Mondim de Basto, num dia de festa na aldeia, que já teve mais de 100 crianças na escola, mas que em 2010 acabou por encerrar por falta de alunos

-PUB-

A antiga escola primária no lugar de Ermelo, concelho de Mondim de Basto, já albergou mais de 100 crianças nos tempos áureos, no entanto, a população foi partindo à procura de melhores condições de vida e o número de alunos reduziu consideravelmente na última década e meia. Com a construção do Centro Escolar de Mondim de Basto, as crianças do concelho foram concentradas no novo espaço, ficando muitas escolas primárias disponíveis para outras funções, como aconteceu ao edifício localizado em Ermelo.

Agora na antiga escola nasceu um Centro de Apoio Domiciliário, que foi inaugurado pelo ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social, Pedro Mota Soares, num dia que foi de festa para a população da aldeia, que não recebia um representante do governo desde 1962, altura em que se deslocou até Ermelo um ministro para inaugurar a Casa do Povo.

Numa alusão aos heróis de outros tempos, o ministro agradeceu a Maria da Glória, presidente da Associação Social, Cultural e Recreativa de Ermelo (ASCRE), que “é um grande exemplo do heroísmo da resiliência”, alguém que continuou a acreditar e fez erguer esta obra, num sítio “tão bonito”.

Pedro Mota Soares destacou ainda a força desta comunidade que acredita na sua terra e que quer dar “uma melhor qualidade de vida aos mais fracos” que têm uma idade mais avançada. Adiantou ainda que, em tempos difíceis, o seu ministério, em três anos, conseguiu “aumentar a verba para a ação social em 400 milhões” de euros, e este ano conseguiram reunir uma verba “adicional de mais 50 milhões de euros para reforçar os acordos de cooperação com as várias instituições” espalhadas pelo país. “Temos 13 mil acordos de cooperação, nunca o Estado teve tantos pacotes de cooperação com as instituições sociais que servem diretamente cerca de meio milhão de portugueses”. Até ao final deste mês, o Estado vai assinar “mais 200 novos contratos com equipamentos sociais, como aquele que foi aqui estabelecido”, sublinhou Mota Soares.

O presidente da Câmara de Mondim de Basto, Humberto Cerqueira, referiu que desde a primeira hora a autarquia decidiu por unanimidade ceder o espaço, por 50 anos, à Associação, num “encontro de vontades” que agora está concretizado, numa área do concelho que ainda não tinha este tipo de resposta. No entanto, o autarca frisou que é preciso fazer mais por parte do Estado central, referindo que não compreende o porquê da “não inclusão do concelho de Mondim de Basto” nos Contratos Locais de Desenvolvimento Social, que têm como objetivo reduzir as assimetrias regionais que potenciam fenómenos de exclusão social. “Mondim de Basto reúne todos os requisitos, por isso não entendo que esteja fora dos territórios que são abrangidos por esses contratos. Esperamos que o governo reveja essa situação”, adiantando que da parte do município “há todo o interesse” em que essa resposta social seja dada a toda a população, mas esse esforço, para além da autarquia, “tem de ser dado também pelo Estado e pelas comunidades locais”, frisa Humberto Cerqueira.

Sobre esta preocupação do autarca, o ministro afirmou que ainda se está na primeira fase de implementação deste programa e vai haver outras fases posteriores em que mais concelhos serão abrangidos. “Queremos garantir a todo o país proteção social e um conjunto de outros instrumentos, e em Mondim de Basto há um gabinete de inserção profissional e mantivemos sempre uma técnica da Segurança Social que ajuda os mais vulneráveis. Além disso, a rede de parceiros sociais também funciona muito bem e vamos continuar a trabalhar com as associações, IPSS e autarquia locais, que são fundamentais em todo este processo”, conclui o ministro, dando como exemplo a ASCRE.

 

Criados oito postos de trabalho

 

Para a concretização de um sonho esperado há mais de 14 anos pela população, foi preponderante o apoio do Conselho Diretivo de Baldios de Ermelo, que soube aproveitar da melhor forma os proveitos vindos dos recursos naturais existentes nesta região e investiu mais de 125 mil euros em obras de requalificação da antiga escola primária.

O Centro de Apoio Domiciliário criou oito postos de trabalho, sobretudo feminino que presta diariamente apoio a 27 pessoas, mas em breve pretende abranger 40, com o apoio da Segurança Social.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.