Segunda-feira, 6 de Dezembro de 2021
©DR

Atividade marítimo-turística no rio Douro restabelecida hoje

A Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL) esclareceu que foi restabelecida hoje a atividade marítimo-turística na Via Navegável do Douro (VNA), salientado que esta deve cumprir as recomendações emanadas pelas autoridades de saúde.

-PUB-

Num aviso à navegação divulgado hoje, a APDL disse que “é restabelecida a navegação aos restantes tipos de embarcações/navios na VND, nomeadamente as inscritas na atividade marítimo-turística, devendo ser respeitados os despachos e recomendações das diferentes autoridades, no que concerne às respetivas condições de operação nas diferentes atividades/usos (desporto, marítimo-turísticos, mercadorias, pesca, recreio e tráfego local)”.

A informação é sustentada na resolução do conselho de ministros de sexta-feira, que aprovou um conjunto de medidas para a terceira fase do processo de desconfinamento que arrancou hoje.

Um conjunto de 25 empresas marítimo-turísticas que operam no rio Douro reclamou hoje a retoma urgente da atividade, depois dos “meses de trabalho perdidos” devido à crise pandémica.

Estas empresas operam com embarcações de recreio na VND e fazem passeios para famílias ou pequenos grupos.

Um dos operadores disse à agência Lusa que os empresários estão preparados para o regresso ao trabalho, dispondo do selo “Clean & Safe” do Turismo de Portugal, de equipamento de proteção individual e formação e salientou ainda que já estão a ser contactados por potenciais clientes.

A atividade turístico fluvial no Douro é sazonal e, este ano, por causa da covid-19, parou em meados de março, podendo ser retomada a partir de hoje.

No aviso da APDL é referido que “todos os utilizadores da VND, de acordo com as recomendações e anúncios efetuados pelas autoridades (…) deverão encetar e implementar o seu plano de contingência (de acordo com o publicado pela Direção-Geral da Saúde)”.

Portugal entrou no dia 03 de maio em situação de calamidade devido à pandemia, que sexta-feira foi prolongado até 14 de junho, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de março.

O país tem vindo a concretizar um plano de desconfinamento e de retoma da economia, destacam-se hoje a abertura dos centros comerciais (à exceção da Área Metropolitana de Lisboa), dos ginásios ou das salas de espetáculos.

De acordo com o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia, Portugal contabiliza 1.424 mortos associados à covid-19 em 32.700 casos confirmados de infeção.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.