Sábado, 4 de Dezembro de 2021

Bragança mantém plano distrital de emergência e monitorização da pandemia

A Comissão Distrital de Proteção Civil de Bragança decidiu manter ativo o plano de emergência e a estrutura de monitorização da pandemia de covid-19, enquanto vigorar a situação de Alerta na região do Nordeste Transmontano.

-PUB-

O distrito de Bragança encontra-se no nível menos grave da Lei de Bases da Proteção Civil, com 302 casos de infeção pelo novo coronavírus confirmados e 24 mortes, sem registos de óbitos há várias semanas.

Apesar disso, a Comissão Distrital de Proteção Civil entende que devem ser mantidas as medidas adotadas de resposta à pandemia, tendo em conta a época de maior empenho nos incêndios florestais e o maior fluxo de pessoas na região, nomeadamente depois da abertura das fronteiras.

Em comunicado, este órgão, em que estão representados diversos agentes regionais, informa que deliberou hoje por unanimidade propor ao secretário de Estado de Estado da Administração Interna a manutenção da ativação do Plano Distrital de Emergência de Proteção Civil, enquanto a situação de Alerta se mantiver em vigor para o distrito de Bragança.

Deliberou também “manter as medidas implementadas e ações de coordenação em matéria de prevenção preparação e resposta”, nomeadamente as infraestruturas de apoio a eventuais surtos e o posto de comando, em Bragança, que concentra toda a informação sobre o ponto de situação e meios disponíveis a nível distrital.

Em funções permanecerá também a subcomissão de Proteção Civil para “permanente monitorização e reação à situação epidemiológica distrital”.

A comissão distrital continuará a reunir quinzenalmente para fazer o ponto da situação e extraordinariamente sempre que necessário.

Desde 14 de março que a comissão acompanha e coordena no distrito de Bragança a evolução da pandemia.

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.