Quinta-feira, 30 de Junho de 2022

Caixas multibanco fora do alcance de pessoas com deficiência

Rampas mal construídas, alturas desrespeitadas e sistemas áudio, para cegos, ineficazes, são algumas das problemáticas encontradas nos multibancos vila-realenses, sendo de sublinhar que quase metade “chumbou”, no teste realizado por alunos da UTAD.   Cerca de 49 por cento das caixas multibanco da cidade de Vila Real revelam problemas de acesso a pessoas com cadeiras […]

Rampas mal construídas, alturas desrespeitadas e sistemas áudio, para cegos, ineficazes, são algumas das problemáticas encontradas nos multibancos vila-realenses, sendo de sublinhar que quase metade “chumbou”, no teste realizado por alunos da UTAD.

 

Cerca de 49 por cento das caixas multibanco da cidade de Vila Real revelam problemas de acesso a pessoas com cadeiras de rodas ou com problemas de visão. Esta é uma das conclusões de um estudo que, realizado por um grupo de alunos de Informática da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), foi apresentado, no dia 14, no âmbito do Dia Mundial da Usabilidade.

O estudo analisou 55 caixas multibanco, existentes na cidade de Vila Real e em grandes superfícies, equipamentos que apresentaram, em cerca de metade dos casos, problemas de acesso a pessoas com cadeiras de rodas, o que desrespeita a legislação portuguesa de acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida.

Francisco Godinho, responsável pelo Centro de Engenharia e Reabilitação em Tecnologias da Informação e da Comunicação (CERTIC) e coordenador do estudo, explicou que “se não forem consideradas as caixas multibanco, localizadas nas grandes superfícies comerciais, a percentagem de equipamentos com problemas ascende aos 70 por cento”.

Questões de acesso e altura do terminal, utilização do teclado, leitura do ecrã e audição do módulo de voz para pessoas com deficiência visual foram alguns das características analisadas pelo estudo, nos terminais multibanco que acabaram por ser classificados em três níveis: com muitos problemas, alguns problemas e poucos problemas.

O estudo indica, ainda, que 60 por cento dos multibancos apresentam problemas, no que diz respeito ao serviço áudio disponível, para pessoas cegas.

Instaurado pela “Usability Professional Association”, representada, em Portugal, pela Associação Portuguesa de Profissionais de Usabilidade, o Dia Mundial da Usabilidade (dia 3 de Novembro) focou, este ano, o tema “Tornando a vida mais fácil”, sendo responsável por cerca de 200 eventos, em 40 países. Em Dezembro, será também feita uma avaliação para pessoas idosas, onde se estudará as dificuldades que estas têm, na utilização das caixas multibanco.

De realçar, ainda, que deu já entrada no Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior a proposta que visa a criação do Curso de Licenciatura em Engenharia de Reabilitação e Acessibilidade Humanas da UTAD, o qual será pioneiro, a nível mundial. Esse curso deverá ter início em 2007.

 

Maria Meireles

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.