Quarta-feira, 4 de Agosto de 2021
© DR

Câmara apresenta saldo “positivo superior a 3,4 milhões”

O Relatório de Gestão e Prestação de Contas de 2020 da Câmara Municipal de Alijó, aprovado na última sessão da Assembleia Municipal, espelha os melhores resultados de sempre a nível orçamental

-PUB-

O Relatório evidencia a trajetória de rigor e de estabilidade das contas municipais que acompanha o executivo permanente, desde 2017”, revelou a autarquia em comunicado.

“Num ano extremamente atípico, cumprimos os compromissos assumidos e continuamos a apresentar contas certas e equilibradas, com redução da dívida e um elevado grau de execução. Implementamos um ambicioso plano de obras públicas em todo o concelho e mantivemos os apoios às juntas de freguesia e às nossas associações, contribuindo para o desenvolvimento e para a afirmação do nosso concelho”, sublinha o presidente da câmara municipal, José Paredes.

O município transitou de ano com um “saldo orçamental positivo superior a 3,4 milhões de euros”, resultado que “comprova a criteriosa gestão financeira e o rigoroso controlo das despesas” que o executivo liderado por José Paredes tem implementado no exercício das suas funções.

No último ano, o município alcançou uma “poupança efetiva de cerca de 3,1 milhões de euros”, sendo que a taxa de cumprimento da receita foi de 97,9% e da despesa foi de 76,46%. Em ambos os casos, foi garantido um desempenho muito favorável da execução das previsões, registando-se um aumento da execução orçamental em relação aos anos anteriores.

A câmara revelou que conseguiu “diminuir as suas despesas com pessoal e com a aquisição de bens e serviços”. Foram também reduzidas “outras despesas correntes, assim como os ativos e passivos financeiros”. Por outro lado, salientou que “aumentou o investimento, que cresceu 1,5 milhões de euros em relação ao ano anterior, assim como as transferências para entidades terceiras, que se materializam em diversos apoios que beneficiam diretamente as populações”.

No que concerne à capacidade de endividamento, o município fechou o ano com uma margem absoluta de endividamento de 3,4 milhões de euros, “o que comprova, mais uma vez, a saúde financeira do município e a sustentabilidade da sua estratégia”.
A dívida total, que ronda agora os 11,4 milhões de euros, continua a diminuir como se tem vindo a verificar desde 2014, altura em que se situava em 20,9 milhões de euros.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.