Quarta-feira, 20 de Outubro de 2021
©DR

Chega pede “voto de confiança” a quem “vem de novo” 

O cabeça de lista pelo Chega à Câmara de Vila Real, Sérgio Ramos, pediu um “voto de confiança” a “quem “vem de novo”, referindo-se ao partido que concorre pela primeira vez às eleições autárquicas.

-PUB-

“Nós nunca fomos a eleições autárquicas (…) e eu acho que as pessoas deviam dar um voto de confiança e quem vem de novo”, afirmou à agência Lusa.

Sérgio Ramos garantiu que o Chega tem “alguma coisa diferente” para apresentar e, por isso, pediu “uma oportunidade”.

“Daqui a quatro anos há novamente eleições e depois logo se vê. Se nós conseguirmos contribuir de alguma forma para a melhoria da vida dos vila-realenses deixem-nos continuar, ou se acham que somos um partido igual que vem apenas para meter cunhas, meter amigos na câmara e dar obras aos conhecidos, então daqui a quatro anos digam chega e nós vamos embora”, salientou.

Terça-feira é dia da feira dos “farrapos” e nestes dias que antecedem as eleições, que decorrem no domingo, este é um local de passagem obrigatória das candidaturas. Esta manhã passaram também por lá o PS e o Bloco de Esquerda.

Sérgio Ramos foi distribuindo o manifesto eleitoral e canetas pelos feirantes e clientes, e entre as manifestações de apoio também foi ouvindo críticas ao partido que “é racista” e é “contra nós”.

A economia e o emprego são preocupações do candidato que disse que a sua grande proposta começa na “educação” e passa por fomentar nas crianças as “capacidades de empreendedorismo”.

“E, se elas desenvolverem essas capacidades desde cedo, se calhar quando chegarem ao 12.º ano ou saírem da universidade têm capacidade para criar o seu próprio posto de trabalho e a sua própria empresa em Vila Real, e não têm de estar dependentes dos empregos que existem”, sublinhou.

No seu programa propõe ainda a criação do “Espaço Jovem Empreendedor”, de um Gabinete de Apoio ao Investimento e do “Pack Investimento”.

O objetivo é “captar mais investimento” para o concelho e evitar que, como aconteceu recentemente, uma empresa do ramo automóvel “que se queria instalar em Vila Real tenha ido para Amarante”.

Os apoios para a instalação de empresas passam por “loteamento a custo reduzido, incentivos fiscais e mais rapidez nos projetos de licenciamento”.

“Até há pouco tempo nós tínhamos a grande barreira natural que é o Marão, não se investia porque as pessoas não chegavam cá, mas, agora, se temos essas condições todas (túnel do Marão) porque é que continuamos a ficar para trás?”, questionou.

O Chega propõe creches gratuitas, isenção do IMI para o comércio local e desativação dos parquímetros por dois anos, parque para autocarros de turismo e sistemas de videovigilância em zonas mais problemáticas, nomeadamente no Pioledo, uma zona de concentração de estabelecimentos de diversão noturna que tem sido notícia devido às queixas dos moradores por causa do barulho e de uma alegada falta de segurança.

Os candidatos à presidência da Câmara de Vila Real nas autárquicas são Rui Santos (PS), Luís Tão (PSD/CDS-PP/Aliança), Luís Santos (BE), Alexandre Coelho (CDU) e Sérgio Ramos (Chega).

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.