Sábado, 21 de Maio de 2022

Cidade terá novo polo cultural

A reabilitação da Torre dos Figos, situada no Bairro do Castelo de Lamego, tem como objetivo fixar moradores e atrair novas pessoas e atividades ao núcleo mais antigo da cidade, criando um novo polo de dinamização cultural e turística

De acordo o presidente da Câmara Municipal de Lamego, Francisco Lopes, “este investimento municipal integra um processo de regeneração mais abrangente, iniciado em 2007, com o projeto “Viver Lamego” e as parcerias para a regeneração urbana, que trouxeram uma nova vida à cidade, a nível paisagístico e urbanístico”.

O projeto de regeneração urbana mencionado pelo autarca “imprimiu uma nova dinâmica cultural e social ao Bairro do Castelo, na sequência da reabilitação de vários edifícios de elevada qualidade patrimonial”, destacou o município em comunicado.

“Mereceram particular atenção o Castelo e a Cisterna, dois monumentos nacionais, e o Núcleo Arqueológico da Porta dos Figos que constituem o Centro Interpretativo de Lamego, um museu polinucleado que conta as diversas histórias da multimilenar cidade de Lamego que ganhará em breve um novo polo quando abrir portas a Torre dos Figos”.

Para tal, “a realização de uma reunião de câmara que juntará, simbolicamente, os membros eleitos pelos lamecenses à Câmara Municipal será o primeiro ato a decorrer neste novo espaço de valorização do nosso património histórico”, anunciou, hoje, Francisco Lopes.

Historicamente, a Torre dos Figos teve diversas utilidades: foi Torre Militar Albarrã e, posteriormente, Casa da Câmara, entre o séc. XIV e o séc. XIX. De acordo com a autarquia, “tendo em conta o seu elevado valor patrimonial, o projeto de arquitetura vai recuperar e regenerar a sua estrutura, fazendo a passagem do uso militar para o uso cívico”.

Adjudicada à firma “ATWAAL”, a reabilitação da Torre dos Figos é concretizada no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU), cofinanciado em 85% pelo FEDER, num investimento superior a 381 mil euros.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

Homem encontrado morto em casa

PREMIUM

Um lar a que todos chamam casa

Homem morre em colisão

Homem morre afogado em Valdanta

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.