Terça-feira, 26 de Outubro de 2021

CIM Douro suspende eventos e romarias até junho

A Comunidade Intermunicipal (CIM) do Douro decidiu suspender, até ao final do mês de junho, todas as atividades recreativas e culturais, como festas e romarias, nos 19 municípios do território.

-PUB-

Através de um comunicado, os muncípios do Douro fizeram saber que vão manter a suspensão das atividades culturais e recreativas e que não emitirão qualquer licença para festas, romarias e eventos em todo o território da CIM Douro.

A decisão foi tomada durante a reunião extraordinária do conselho intermunicipal da CIM, que decorreu na sexta-feira, por videoconferência, e que abordou a pandemia de covid-19, o seu impacto na região e o trabalho que tem sido desenvolvido pelos municípios.

“Preocupados com a segurança das populações e no âmbito das suas responsabilidades, os municípios da CIM Douro foram unânimes quanto à necessidade de implementarem formas de atuação comum para fazerem face à pandemia, que passa, nesta fase, por evitar a propagação e salvaguardar a saúde das populações”, referiu o comunicado.

Segundo esta CIM, “uma das formas mais eficazes de o conseguir passa, de imediato, por suspender as manifestações culturais que acontecem no Douro e que atraem, por norma, aos diversos concelhos, muitos milhares de pessoas nestes meses”.

A CIM Douro anunciou ainda que coordenará "recursos humanos, equipamentos e meios para fazer face ao surto na região" e atuará, de forma conjunta no terreno "sempre que assim se justificar”.

Esta comunidade abrange os concelhos de Alijó, Armamar, Carrazeda de Ansiães, Freixo de Espada à Cinta, Lamego, Mesão Frio, Moimenta da Beira, Murça, Penedono, Peso da Régua, Sabrosa, Santa Marta de Penaguião, São João da Pesqueira, Sernancelhe, Tabuaço, Tarouca, Torre de Moncorvo, Vila Nova de Foz Côa e Vila Real, onde residem cerca de 200 mil habitantes.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.