Segunda-feira, 23 de Maio de 2022

Concelho já recebeu 21 refugiados ucranianos

São 21 os ucranianos recebidos em Tabuaço desde o início da invasão russa. O município tem habitações sinalizadas, as crianças já estão na escola e os adultos vão ser integrados no mercado de trabalho.

Desde o início da invasão russa que Tabuaço tem recebido refugiados vindos de vários pontos da Ucrânia. Até à data acolheu 21 ucranianos, que estão a ser acompanhados  pelos serviços de Ação Social do município.

Além de habitações, devidamente equipadas, os refugiados têm tido apoio junto do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), com vista à obtenção da declaração de protecção temporária a pessoas deslocadas.

O municipio tem-se responsabilizado, ainda, pela alimentação e os encargos com saúde e educação, sendo que há alunos universitários aos quais é garantida a assiduidade nas aulas online através da cedência de equipamento informático e internet.

Quanto às crianças, estão integradas na escola. Duas delas frequentam a creche, duas estão no pré-escolar e uma frequenta o 6º ano.

Em simultâneo, a câmara municipal lançou a iniciativa para a aprendizagem da Língua Portuguesa aos adultos, que conta com a ajuda de professores das escolas locais.

Para Carlos Carvalho, o presidente da autarquia, “este é um caminho extenso, principalmente a nível burocrático, mas faz-se diariamente e é imprescindível para chegarmos ao que é realmente importante, a integração no mercado de trabalho”.

“Depois de mais de dois anos com uma pandemia, eis que nos deparamos com uma outra situação para a qual nenhuma autarquia tem um manual de instruções. Torna-se, por isso, um desafio diário. É um esforço conjunto, acreditando que estamos a fazer o melhor por estas famílias para que se sintam bem acolhidas e integradas em Tabuaço”, confessa.

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.