Domingo, 28 de Novembro de 2021

Concurso aberto para obras no terminal do aeródromo municipal

A Câmara de Bragança abriu o concurso público para as obras anunciadas há quase dois anos de beneficiação do terminal do aeródromo municipal, por mais de 347 mil euros, segundo anúncio publicado hoje em Diário da República (DR).

-PUB-

O valor base da empreitada, segundo o anúncio no DR, é de mais de 347 mil euros com um prazo de execução de 300 dias e de 20 dias para os interessados na obra apresentarem propostas.

O presidente da Câmara de Bragança, Hernâni Dias, tinha anunciado, em maio de 2018, esta intervenção para a melhoria das condições do terminal do aeródromo municipal que serve a carreira aérea entre a cidade e Portimão, no Algarve.

As obras visam criar melhores condições para os passageiros, mas também para agentes que intervêm na operação como os bombeiros e a própria empresa, a Sevenair, responsável pelas viagens entre Bragança/Vila Real/Viseu/ Tires (Cascais)/ Portimão.

A ideia é melhorar “a parte de estada das pessoas quando acedem ao terminal e também as zonas do bar e de espera”.

Estas intervenções serão feitas no edifício atual do aeródromo municipal, mas o projeto da Câmara contempla também “criar um novo corpo à parte para que, quer a nível da empresa que faz a operação diária de voo, quer dos próprios bombeiros voluntários, que asseguram o apoio à operação, sejam criadas condições de conforto”.

Além da carreira aérea comercial regular, o aeródromo municipal de Bragança é atualmente usado por adeptos dos voos de recreio e de serviços de emergência e socorro.

O presidente da Câmara tem reivindicado a passagem do aeródromo a aeroporto regional de Trás-os-Montes e a inclusão do investimento necessário para esse estatuto no Plano Nacional de Investimentos (PNI) 2030.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.