Quinta-feira, 7 de Julho de 2022

Concurso para requalificação da escola de Mondim de Basto ficou deserto

 A Câmara de Mondim de Basto informou hoje que não concedeu a obra de requalificação da Escola 2,3 e Secundária porque nenhuma empresa apresentou proposta ao concurso público lançado por 2,2 milhões de euros.

Segundo afirmou em comunicado a autarquia liderada pelo socialista Humberto Cerqueira, o concurso ficou “deserto”.

O município referiu que, perante este facto, já se encontra a desenvolver “todos os esforços no sentido de ser encontrado rapidamente o enquadramento para um novo procedimento”.

O objetivo é “viabilizar a realização da tão desejada intervenção, no cumprimento da calendarização estipulada pela candidatura e pelo limite da verba contratualizada”.

“O mercado das obras públicas vive atualmente, um contexto de excesso de procura, e por consequência as empresas de construção civil não conseguem acompanhar este volume de obras, aumentando os preços de mercado”, afirmou a autarquia.

Em setembro de 2016, a Câmara de Mondim de Basto e o Ministério da Educação assinaram um protocolo com vista à requalificação e modernização das instalações da Escola Básica e Secundária.

O concurso público foi lançado pelo preço base de cerca de 2,2 milhões de euros.

Nos últimos anos, o frio e a água da chuva que entrava nas salas de aula desta escola, onde estudam cerca de 620 alunos, motivaram manifestações por parte de pais e alunos, ainda visitas de partidos políticos e a intervenção da câmara liderada por Humberto Cerqueira.

A EB2,3 e Secundária de Mondim de Basto foi construída há cerca de 30 anos e sofreu uma intervenção em 2000, com a construção de um novo pavilhão.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.