Segunda-feira, 4 de Julho de 2022

Cooperativas defendem eleições antecipadas para a FENADEGAS

Na última reunião da Federação Nacional de Adegas Cooperativas, FENADEGAS, ocorrida na quinta-feira, em Santarém, um grupo de cooperativas defendeu a realização de eleições antecipadas para os órgãos sociais deste organismo. Esta posição foi ouvida por Fernando Pinto, actual Presidente em exercício desta agremiação e da Adega Cooperativa de Peso da Régua. Segundo um dos […]

Na última reunião da Federação Nacional de Adegas Cooperativas, FENADEGAS, ocorrida na quinta-feira, em Santarém, um grupo de cooperativas defendeu a realização de eleições antecipadas para os órgãos sociais deste organismo. Esta posição foi ouvida por Fernando Pinto, actual Presidente em exercício desta agremiação e da Adega Cooperativa de Peso da Régua. Segundo um dos directores presentes, os dirigentes manifestaram o seu descontentamento “pela não apresentação da actual direcção de um projecto capaz e aglutinador de todo o sector” e acusaram alguns directores de “falta de ética, por estarem ainda a exercer cargos directivos, na FENADEGAS, e já desvinculados de associações a que, em tempos, pertenciam, na qualidade das quais que foram eleitos”. Na mira do grupo de adegas contestatárias, na sua maioria da Zona Oeste e da Estremadura, está, também, Fernando Pinto que foi eleito, para este organismo, em 2005, como Presidente da União das Adegas Cooperativas da Região Demarcada do Douro, UNIDOURO, cargo que, entretanto, já não exerce. De referir, porém, que a manutenção de Fernando Pinto, à frente da FENADEGAS, é legítima, pois a actual regulamentação lhe confere esse direito. Outra ideia defendida foi a criação de apenas uma lista consensual. Consenso este que “não é reconhecido, actualmente, por alguns dirigentes, no interior da FENADEGAS”. Aliás, o alegado divisionismo existente levou, supostamente, a que algumas cooperativas deixassem de pagar as suas quotas, para a agremiação, criando alguns constrangimentos financeiros, no interior da organização.

De sublinhar que, por detrás desta contestação, está um grupo de Adegas, cujos directores apresentaram, em 2005, uma lista adversária à actual Direcção (derrotada, então, em sufrágio). Confrontado com tudo isto, Fernando Pinto ficou de estudar o assunto e dar uma resposta, quanto à pretensão das adegas reclamantes.

De referir que a Presidência da FENADEGAS era assumida por António Aurélio de Carvalho, responsável da Adega Cooperativa de Felgueiras, o qual apresentou a sua demissão do organismo cooperativo, há cerca de um mês, sendo o seu cargo, por inerência, assumido por Fernando Pinto.

 

Jmcardoso

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.