Sexta-feira, 21 de Janeiro de 2022
©DR

D. José Cordeiro nomeado novo arcebispo de Braga

Vai substituir D. Jorge Ortiga, que tinha apresentado a sua renúncia ao Papa após completar 75 anos. D. José Cordeiro aceitou com “humidade” o novo desafio do Papa Francisco

-PUB-

José Cordeiro foi nomeado hoje pelo Papa Francisco como novo arcebispo de Braga, sucedendo no cargo a D. Jorge Ortiga, de 77 anos, que tinha renunciado após ter atingido o limite de idade imposto pelo Direito Canónico.

Desde 2011 era bispo da Diocese de Bragança-Miranda, D. José Cordeiro, de 54 anos, nasceu a 29 de maio de 1967 em Angola, tendo vindo para Alfândega da Fé em 1975 com a família.

Frequentou o Seminário Menor da Diocese de Bragança-Miranda, sendo depois admitido ao Seminário Maior, e seguiu os estudos filosófico-teológicos na sede do Porto da Universidade Católica Portuguesa.

Após receber a Ordenação presbiteral a 16 de junho de 1991, foi incardinado na Diocese de Bragança-Miranda. De 1991 a 1999 foi Pároco, formador no Seminário Diocesano e Capelão do Instituto Politécnico de Bragança. De 1999 a 2001 frequentou o Pontifício Ateneu de Santo Anselmo, em Roma, obtendo a licenciatura em Liturgia. Em 2004 obteve o doutoramento em Liturgia no Ateneu de Santo Anselmo, em Roma.

De 2001 a 2005, foi vice-reitor do Pontifício Colégio Português, em Roma, e de 2005 a 2011 foi reitor do mesmo Pontifício Colégio. De 2004 a 2011 foi professor no Pontifício Ateneu de Santo Anselmo, em Roma.

No dia 18 de julho de 2011 foi nomeado Bispo de Bragança-Miranda, recebendo a Ordenação Episcopal a 2 de outubro de 2011, tendo sido hoje, dia 3 de dezembro, nomeado Arcebispo Metropolita de Braga.

José Cordeiro refere que aceitou com “fé humilde” a missão a missão que o Papa Francisco lhe confia para ser servidor do Evangelho da Esperança com o Povo santo de Deus peregrino na Arquidiocese de Braga. “O meu desejo é aprender convosco a configurar-me em cada dia com a palavra de Jesus que diz: ‘Estou no meio de vós como aquele que serve’ (Lc 22, 27). O desafio é grande, mas a força maior é a alegria do Senhor. Ele é sempre a melhor alegria, que sempre nos surpreende”.

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.