Terça-feira, 18 de Janeiro de 2022
© DR

Diocese de Bragança-Miranda lamenta falecimento do Pe. Casimiro Komor

De acordo com a Diocese de Bragança-Miranda, o pároco da Congregação dos Marianos da Imaculada Conceição faleceu ontem, no Hospital de Macedo de Cavaleiros, aos 84 anos de idade

-PUB-

Nascido a 30 de junho de 1937 em Rycica, na Província da Masóvia, no Nordeste da Polónia, o Padre Kazimierz (Casimiro) Komor veio para Portugal no início de 1972 para responder a uma necessidade missionária da Congregação dos Marianos da Imaculada Conceição. Neste contexto, ofereceu-se como voluntário para ajudar a consolidação da presença dos Marianos em Portugal, tendo chegado a Balsamão, em Macedo de Cavaleiros, no dia 2 de fevereiro desse ano, juntamente com o Padre Estanislau Szymański.

Ao longo dos anos em que residiu em Balsamão dedicou-se, sobretudo, à pastoral paroquial, tendo sido pároco de Gebelim entre 1993 e 1999, de Chacim entre 1993 e 2014 e do Lombo entre 2007-2014 e tendo ainda trabalhado como pároco in solidum na Unidade Pastoral 10 B de 2012 a 2014.

De acordo com nota enviada à VTM pela Diocese de Bragança-Miranda, “o Padre Casimiro destacou-se pelo seu bom humor e pelo seu sorriso cativante e pela sua simpatia acolhedora, sendo reconhecido como um homem de oração, um bom pastor e um religioso zeloso ardente de amor pela sua Congregação”.

Em meados de 2014 “começou a perder a memória progressivamente, padecendo de demência e exigindo cuidados continuados”. Recentemente, “o seu estado de saúde começou a agravar-se tendo vindo a falecer de pneumonia por volta das 11h30 do dia 30 de dezembro de 2021 no Hospital de Macedo de Cavaleiros”, aos 84 anos de idade, 65 de profissão religiosa e 54 de ordenação sacerdotal.

As cerimónias fúnebres tiveram lugar esta manhã, na igreja do Santuário de Nossa Senhora de Balsamão, com Missa Exequial seguida de procissão para o cemitério.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.