Sábado, 4 de Fevereiro de 2023
No menu items!
0,00 EUR

Nenhum produto no carrinho.

Dois detidos em flagrante por caça ilegal

Mais dois caçadores foram detidos este fim de semana, por caçaram em horário ilegal ou com recurso a meios não permitidos

-PUB-

O Comando Territorial de Bragança, através do (NPA) de Mirandela, ontem, dia 27 de novembro, deteve em flagrante dois homens de 59 e 52 anos por caça em horário ilegal e com meio proibidos, no concelho de Mirandela.

Dois caçadores, de 59 e 52 anos, foram ontem detidos em flagrante, pela GNR, por caça em horário não permitido por lei e com meios proibidos, no concelho de Mirandela.

A Guarda informa que, no âmbito de uma ação de fiscalização ao exercício do ato venatório, os elementos do Núcleo de Proteção Ambiental de Mirandela detetaram um indivíduo que se encontrava a caçar fora da jornada de caça, no caso, antes do nascer do sol, e um segundo suspeito estava a usar meios proibidos na atividade, nomeadamente o chamariz, motivos que levaram às suas detenções em flagrante.

Foram ainda apreendidas duas armas de caça, documentação inerente ao exercício venatório e 101 munições.

Depois de ouvidos, no Tribunal Judicial de Mirandela, esta segunda-feira, foi-lhes aplicada a suspensão provisória do processo mediante o pagamento de 300 euros a uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS).

Segundo a GNR, “quem capturar espécies não cinegéticas, com recurso à utilização de meios e processos não autorizados, incorre num crime contra a preservação da fauna e das espécies cinegéticas e é punido com pena de prisão até 6 meses ou com pena de multa até 100 dias” e frisa ainda que “a prática do ato venatório com arma de fogo, por processo de espera a caça menor, só pode ser exercida no período que decorre entre o nascer e o pôr do sol”.

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.