Quinta-feira, 19 de Maio de 2022

Festa da Senhora dos Remédios adaptada à pandemia

Sob o lema “Viver os Remédios”, a romaria realiza-se de 27 de agosto a 9 de setembro. Programa está condicionado pelo contexto de pandemia.

As Festas em Honra de Nossa Senhora dos Remédios, em Lamego, estão, mais uma vez, condicionadas devido à pandemia, ainda assim, o programa foi adaptado para ajudar os agentes económicos e culturais.

“Estas festas costumam atrair milhares de pessoas à cidade de Lamego. Fruto do contexto pandémico que vivemos, o município desenvolveu um plano de desconfinamento de modo a poder mantê-las vivas”, explica a vereadora e presidente da Comissão de Festas, Ana Catarina Rocha.

Cumprindo todas as orientações da Direção-Geral da Saúde, esta edição contará com o regresso de espetáculos, ainda que adaptados, apostando fortemente nos agentes culturais locais.

“Vamos ter recinto de festa, devidamente organizado mediante as regras, e vamos ter alguns concertos, tendo o palco principal sido deslocado da Avenida Dr. Alfredo Sousa para o parque do CTOE (Centro de Tropas e Operações Especiais) para conseguirmos fazer o controlo de entradas”, referiu.

O objetivo é “respeitar as normas e garantir a segurança e a integridade de todos aqueles que vivem esta festa”.

Haverá também instalações evocativas de momentos marcantes, como a marcha luminosa, a batalha de flores e o cortejo etnográfico, “para que, apesar de não podermos fazer estes eventos, as pessoas mantenham vivas na memória estas componentes da nossa festa”, salientou Ana Catarina Rocha.

A vereadora avançou que, caso as circunstâncias permitam, realizar-se-ão “as tradicionais partidas de fogo, que os lamecenses e os durienses tanto apreciam, nomeadamente nos dias 7 e 9″.

“É a romaria possível, é uma homenagem que fazemos à nossa padroeira e a todos aqueles que apreciam a nossa festa”, conclui.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

Homem encontrado morto em casa

PREMIUM

Um lar a que todos chamam casa

Homem morre em colisão

Homem morre afogado em Valdanta

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.