Segunda-feira, 28 de Novembro de 2022

Homem morreu, quando se deslocava no IP4

Um homem, de 45 anos de idade, foi vítima de atropelamento mortal, no IP4, pelas 7.15 horas do dia 31, perto do nó da Borralha, à entrada de Vila Real. Este acidente teve contornos invulgares e trágicos. Conforme apurámos, o homem, Abílio Coelho, residente em Mesão Frio, estaria a circular, a pé, no IP4, em […]

-PUB-

Um homem, de 45 anos de idade, foi vítima de atropelamento mortal, no IP4, pelas 7.15 horas do dia 31, perto do nó da Borralha, à entrada de Vila Real. Este acidente teve contornos invulgares e trágicos.

Conforme apurámos, o homem, Abílio Coelho, residente em Mesão Frio, estaria a circular, a pé, no IP4, em plena faixa rodoviária, quando uma primeira viatura lhe terá tocado, projectando-o para o asfalto. Entretanto, o seu corpo terá sido atropelado, consecutivamente, por um outro carro e por uma ambulância dos Bombeiros Voluntários de Vila Pouca de Aguiar, tudo isto numa fracção de segundos. Foi, precisamente, debaixo deste veículo que o corpo ficaria prostrado, já sem vida quando a VMER do Centro Hospitalar Vila Real/Régua chegou ao local. A posição do cadáver obrigou a que os Bombeiros da Cruz Branca que compareceram no sítio do desastre, com uma ambulância e um carro de desencarceramento, tivessem de colocar “almofadas” (equipamento de ar comprimido que serve para levantar veículos), por baixo da ambulância, para que fosse possível retirá-lo, sem o fragmentar.

Abílio Coelho sofria de alcoolismo e era uma figura muito conhecida, em Mesão Frio. Várias vezes era encontrado, nas ruas desta vila, embriagado e prostrado, no chão.

Não se sabe porque razão estaria, naquela hora da manhã, a deslocar-se, a pé, no IP4, embora fosse visto, habitualmente, em Vila Real.

O corpo foi levado para a Delegação do Instituto de Medicina Legal de Vila Real, a fim de ser autopsiado.

A Brigada de Trânsito da GNR de Vila Real tomou conta da ocorrência.

 

Jmcardoso

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.