Sexta-feira, 7 de Maio de 2021

Isolamento não é desculpa para não mexer o corpo

Na semana em que se comemorou o Dia Mundial da Atividade Física, a Direção Geral de Saúde aconselhou a população a manter-se ativa, mesmo estando em casa.

O isolamento social obrigou os praticantes de desporto e instrutores a encontrar outras alternativas para praticar e incentivar o exercício físico, até porque numa altura como a que vivemos é essencial manter a atividade física. 

Rafael Guerra é personal trainer e, verificou que, por incrível que pareça, a quarentena levou a um aumento do número de pessoas a praticarem exercício físico, ou para libertar o stress de estar fechado, ou por uma questão de ocupar o tempo. A internet disponibiliza várias soluções, mas é preciso, primeiro, perceber qual o objetivo do exercício físico, e depois ter cuidado quando o exercício não é feito com orientação, devido a lesões que possam surgir. 

“O quererem fazer exercício físico é muito positivo”, referiu o mestre em Ciências do Desporto, que decidiu lançar um desafio nas redes sociais. “Essa ideia surgiu no sentido de dar algum foco e orientação às pessoas. Assistimos a muitos vídeos na internet que não são direcionados a uma população específica e não tem um objetivo claro”. 

A população feminina foi a que mais aderiu ao desafio e, agora, Rafael Guerra dá aulas através de videoconferência, para Chaves, Lisboa, Algarve, Beja e até Espanha, a um grupo de cerca de 25 alunas que pretendem tonificar o corpo. As aulas decorrem de 2ª a 6ª feira e duram entre 30 a 40 minutos, ao longo dos quais Rafael Guerra vai transmitindo os exercícios a fazer e orientando, e corrigindo posturas para evitar mazelas, uma a uma. 

“As aulas são às 19 horas em videoconferência. Oriento o treino através do meu computador onde consigo ver o que elas vão fazendo e ajustando os exercícios”. 

Para as alunas que, por uma questão de disponibilidade, não consigam fazer o treino na hora estipulada, Rafael disponibiliza o vídeo com um resumo do treino para que o possam fazer posteriormente. 

COMBATE AO SEDENTARISMO

Para Rafael Guerra, a situação que estamos a viver “em nada impede que façamos exercício em casa”. 

O instrutor aconselha a, mesmo estando fechados em casa, fazer exercício físico e a combater o sedentarismo por uma questão de saúde mental também. “Não podermos sair à rua limita-nos um bocado, mas não é desculpa para não fazer exercício”. E dá algumas dicas. “Podemos recorrer a matérias como pacotes de arroz ou leite, garrafões para simular peso extra que queiramos adicionar ao treino”. 

Rafael Guerra garante que uma atividade entre os 20 e os 30 minutos por dia é o suficiente para “manter o corpo saudável” e recomenda que em casa e, com o peso do próprio corpo pode-se fazer exercícios básicos, como abdominais, agachamentos, flexões, saltar à corda, “jumping jacks” ou polichinelos, como se diz na gíria militar ou, para quem tem espaço exterior em casa, uma corrida, aliando sempre a uma alimentação saudável. 

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.