Quinta-feira, 7 de Julho de 2022

José Sócrates entregou certificados e computadores

“Se queremos competir com os países mais desenvolvidos, temos que apostar na qualificação dos nossos trabalhadores. É preciso alargar o exército da inovação”, sublinhou José Sócrates, deixando uma homenagem aos 250 mil portugueses que, “com coragem”, assumiram que precisavam de saber mais e inscreveram-se no programa “Novas Oportunidades”. Em Chaves, o Primeiro-Ministro materializou outro projecto […]

“Se queremos competir com os países mais desenvolvidos, temos que apostar na qualificação dos nossos trabalhadores. É preciso alargar o exército da inovação”, sublinhou José Sócrates, deixando uma homenagem aos 250 mil portugueses que, “com coragem”, assumiram que precisavam de saber mais e inscreveram-se no programa “Novas Oportunidades”. Em Chaves, o Primeiro-Ministro materializou outro projecto do Governo: o “e.oportunidades”, entregando computadores, com ligação a Internet, a dez formandos.

José Sócrates, acompanhado por vários Ministros, iniciou, no dia 23, a sua visita ao distrito de Vila Real, no âmbito da iniciativa “Governo Presente”, em Chaves, mais exactamente no Centro de Formação Profissional daquele concelho transmontano, onde presidiu à assinatura de um protocolo e à entrega de certificados de validação de competências e de 10 computadores, com ligação à Internet.

No total, foram nove os formandos do Centro de Formação flaviense que viram reconhecidas as suas competências, ao nível do 9.º ano, com a entrega dos diplomas do Curso de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências (RVCC). Outros dez formandos do mesmo curso, mas ao nível do reconhecimento do 12.º ano de escolaridade, receberam das mãos de José Sócrates um computador portátil, com ligação à Internet, uma “prenda” que se tornou possível graças ao programa “e.oportunidades” que, disponível para os trabalhadores em formação, no âmbito das “Novas Oportunidades”, garante a oferta com uma entrada inicial de 150 euros e uma mensalidade de 15 euros, pelo acesso a Banda Larga.

“Temos 5 milhões e 100 mil trabalhadores, em Portugal. Desses, apenas 30 por cento têm o Ensino Secundário”, contabilizou o Primeiro-Ministro, sublinhando ser necessário “alargar esse exército da inovação”, o que se conseguirá, através da qualificação.

“O dever do Estado é dar oportunidades”, lembrou o governante, reconhecendo “a coragem e o esforço” dos 250 mil portugueses que já se inscreveram no programa “Novas Oportunidades” que, até 2010, quer ver reconhecidas e validadas as competências de mais de um milhão de portugueses.

Simão Martinho, repórter de imagem da RTP que, actualmente, se encontra em processo de certificação de competências, ao nível do 12.º ano, no Centro de Formação Profissional de Chaves, deu o seu testemunho, referindo que o curso representa o “pontapé de saída para outros voos” e adiantou, mesmo, que o próximo passo será o Ensino Superior.

José Sócrates sublinhou, ainda, o importante papel das empresas, no processo de qualificação dos funcionários, realçando o exemplo da Unicer que, também na presença dos membros do Governo, assinou um protocolo com o Centro de Formação de Chaves e a Agência Nacional para a Qualificação.

“A Unicer percebe que, ao empenhar-se na formação dos seus funcionários, cumpre o seu dever de ética social, mas também concretiza objectivos, relativamente aos seus interesses de desenvolvimento económico”, referiu o Primeiro-Ministro.

Manuel Marques, director da Unicer Turismo, explicou que a empresa conta, actualmente, com 2000 trabalhadores, dos quais 60 por cento não têm o 12.º ano de escolaridade e, por isso, tem desenvolvido um plano de formação “ambicioso” que já permitiu o reconhecimento de competências a 50 trabalhadores, em Santarém, e 10, em Vidago.

De acordo com os dados fornecidos pela Agência Nacional para a Qualificação, estão em funcionamento, actualmente, 268 Centros “Novas Oportunidades”, sendo que a Região Norte é a que conta com o maior número: 95.

De realçar que dos 250 mil adultos que aderiram à iniciativa, mais de 176 mil inscreveram-se para concluírem a sua qualificação, ao nível do Ensino Básico, enquanto cerca de 74 mil e 500 o fizeram para terminarem a qualificação de nível secundário.

 

Maria Meireles

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.