Quarta-feira, 4 de Agosto de 2021
©DR

Mais nove mortes e 4.153 novos casos de Covid-19

Portugal regista hoje mais 4.153 novos casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, o número diário mais alto desde fevereiro, e nove mortes atribuídas à covid-19, segundo os dados divulgados pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

-PUB-

Hoje estão internadas menos oito pessoas, num total de 734, mas há mais 10 pessoas em unidades de cuidados intensivos, onde agora se encontram 171 doentes com covid-19.

No boletim epidemiológico de hoje, verifica-se que o número de novos casos não era tão alto desde 10 de fevereiro, quando se registaram 4.387 infeções.

A maior parte das infeções (46,4 por cento) registou-se na zona de Lisboa e Vale do Tejo, seguindo-se o Norte (31%).

Desde o início da pandemia, já foram diagnosticadas 916.559 pessoas com o SARS-CoV-2.

As nove mortes das últimas 24 horas registaram-se nas regiões de Lisboa (sete), e Centro (duas).

Segundo os dados da DGS, até agora, morreram em Portugal 17.182 pessoas vítimas de covid-19: 9.023 homens e 8.159 mulheres.

De acordo com a autoridade de saúde, Portugal tem agora 47.108 casos ativos (mais 1.909), tendo recuperado da infeção nas últimas 24 horas mais 2.235 pessoas, o que aumenta para 852.269 o número de recuperados desde o início da pandemia.

O número de contactos em vigilância está nos 77.682, mais 1.322 nas últimas 24 horas.

Com mais 1.928 contágios nas últimas 24 horas, a região de Lisboa e Vale do Tejo contabiliza agora 358.162 casos de infeção, seguida de perto pelo Norte, onde se registaram 1.305 novos casos, num total de 356.182 refere a DGS.

No Centro registaram-se 316 novos casos (125.267 no total), no Alentejo há mais 102 casos (31.980 no total), no Algarve 441 novas infeções (total de 28.205), na Madeira 19 novos casos (10.123) e nos Açores mais 42, para um total de 6.640.

Lisboa e Vale do Tejo é a região com mais óbitos (7.321), seguindo-se o Norte (5.377), o Centro (3.034), o Alentejo (976), o Algarve (370), a Madeira (70) e os Açores (34).

As autoridades regionais dos Açores e da Madeira divulgam diariamente os seus dados, que podem não coincidir com a informação disponibilizada no boletim da DGS.

A taxa de incidência de infeções pelo SARS-CoV-2 por 100 mil habitantes no continente subiu hoje para 346,5, mas o índice de transmissibilidade (Rt) voltou a baixar ligeiramente para 1,15 no continente.

No boletim epidemiológico conjunto da Direção-Geral da Saúde e do Instituto Nacional da Saúde Doutor Ricardo Jorge, assinala-se que a taxa de incidência no continente subiu dos 325,2 em que estava na segunda-feira passada.

A nível nacional, este indicador subiu de 315,6 para 336,3.

Quanto ao Rt – que estima o número de casos secundários de infeção resultantes de uma pessoa com o vírus – no continente, na segunda-feira estava em 1,16. A nível nacional, o Rt desceu de 1,16 para 1,14.

Os dados do Rt e da incidência de novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias – indicadores que compõem a matriz de risco de acompanhamento da pandemia – são atualizados pelas autoridades de saúde à segunda-feira, à quarta-feira e à sexta-feira.

Nos concelhos de baixa densidade populacional, que representam mais de metade do território continental, a linha vermelha que obriga os municípios a recuar no plano de desconfinamento está fixada nos 480 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias e os restantes concelhos ficam sob alerta quando ultrapassarem os 240 casos por 100 mil habitantes no mesmo período.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 4.053.041 mortos em todo o mundo, entre mais de 187,7 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente da agência France-Presse.

Em Portugal, desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram 17.182 pessoas e foram registados 916.559 casos de infeção, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.