Quinta-feira, 15 de Abril de 2021

Mogadouro reivindica ao Governo medidas concretas para desenvolvimento do território

O presidente da Câmara de Mogadouro reivindicou ontem ao Governo medidas concretas que resolvam às necessidades que afetam o concelho e que vão desde o regadio passando pela saúde, educação, desenvolvimento rural, benefícios fiscais ou regadio.

Francisco Guimarães aproveitou a presença do ministro do Mar, Ricardo Serrão Santos, numa ação da iniciativa "Governo Mais Próximo" para entregar um envelope de reivindicações viradas para o desenvolvimento do território dirigidas aos diversos ministérios.

"Sei que não podemos falar em mar na nossa região, nem de quotas pesqueiras, mas devo falar daquilo que é importante para o nosso concelho e para a nossa região", atirou a autarca eleito nas listas do PS.

O autarca focou o seu discurso nos eixos prioritários para território como é o desenvolvimento rural, num concelho que é essencialmente agrícola, sendo importante que a implementação de regadios para o crescimento da região.

"É necessário e urgente dotar o concelho de Mogadouro e o Planalto Mirandês de regadios. Temos todas condições para que estes sejam implementados, mas para isso é necessária a boa vontade e o empenho de todos os departamentos do Estado", vincou.

No campo das áreas protegidas, o autarca pede ao Governo que estes territórios fiquem sob a gestão dos municípios.

"São os autarcas que estão mais perto das populações e sentem bem as dificuldades e os problemas com que debatem diariamente, principalmente quem está integrado dentro de uma área protegida", afiançou Francisco Guimarães.

No campo da educação, uma das propostas passa pela redução do número de alunos por turmas e na oferta de formativa de cursos profissionais.

O eixo empresarial também suscitou a atenção, com o autarca a pedir ao ministro para que o Governo não se esqueça do concelho de Mogadouro, alertando que a fixação de pessoas e a criação de emprego são essenciais.

"A aposta nestas medidas passa pela redução dos impostos às empresas como é caso da redução do IVA e no preço da eletricidade, exemplificou o autarca.

O ministro do Mar disse ter tomado nota das reivindicações do autarca, quando participava numa ação de sensibilização promovida pela Docapesca – Portos e Lotas sobre sustentabilidade do pescado e vantagens nutricionais, com a investigadora do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) Narcisa Bandarra e o atleta Francisco Lufinha, recordista mundial de kitesurf de longa distância.

Questionado pela Lusa sobre a sua passagem pelo interior profundo para falar de mar, o governante disse que a sua presença que era uma questão de "literacia".

"É uma prática de informação. Não venho aqui apelar as pessoas para comerem peixe, mas dar informação sobre o peixe da nossa costa", vincou o ministro.

O primeiro-ministro esteve, desde a manhã de quarta-feira, com outros membros do Governo no distrito de Bragança, na primeira edição do programa "Governo Mais Próximo". O objetivo é o exercício de uma governação de proximidade e entrar em contacto direto com cada região e a população.

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.