Domingo, 27 de Novembro de 2022

Mostra de Teatro está de regresso a vários concelhos durienses

A Associação Vale d’Ouro retoma, a partir de 23 de abril, a Mostra de Teatro do Douro, depois de dois anos de paragem, devido à pandemia de Covid-19.

-PUB-

O ano de 2022 assinala a 12ª mostra, no ano em que esta iniciativa teve início, as exibições apenas aconteciam no Pinhão. Até 2019 foram 11 as edições sucessivas que já percorreram grande parte da região do Douro.

O evento expande-se até ao último fim de semana de maio e conta com sete espetáculos que passarão por Sabrosa, Santa Marta de Penaguião, Mesão Frio, Carrazeda de Ansiães, Pinhão, Alijó e Régua.

Numa fase em que os grupos de teatro estão também a retomar a sua atividade, a mostra deste ano conta com a estreia nacional de “Haja Luz”, a cargo do Grupo de Teatro do Centro Cultural Lordelense, já no arranque do certame, e com dois grupos de teatro que estarão pela primeira vez no Douro: o Teatro do Ave (Vila do Conde) e o Grupo de Teatro Linha 5 (Caíde).

De acordo com Luís Almeida, presidente da Associação Vale d’Ouro, esta foi a edição que requereu uma preparação mais árdua “estamos a sair de uma situação em que a atividade dos grupos de teatro e das associações esteve interrompida, isso foi brutal para algumas das companhias. Contudo conseguimos programar um festival que tem muito boas peças e está muito interessante”.

A comédia assume, um ano mais, o papel principal no programa de espetáculos: “mais do que nunca estes são tempos em que as pessoas procuram abstrair-se da loucura do mundo, e uma bela peça de teatro, uma boa comédia popular ou mais clássica é o analgésico perfeito durante alguns minutos”, acrescenta o dirigente.

A Mostra de Teatro do Douro 2022 é organizada pela Associação Vale d’Ouro, que procura tornar este evento “numa referência e numa realidade de âmbito mais alargado”.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.