Segunda-feira, 4 de Julho de 2022

O regresso da “São Silvestre”, envolverá atletas de todas as idades

Depois de quase uma década de pausa, a Corrida de São Silvestre de Vila Real voltará a encher de atletas as ruas da capital de distrito, no dia 16 de Dezembro, numa prova que, para além de ter por objectivo a promoção do Desporto e da Saúde, na região de Trás-os-Montes, terá, ainda, uma vertente […]

Depois de quase uma década de pausa, a Corrida de São Silvestre de Vila Real voltará a encher de atletas as ruas da capital de distrito, no dia 16 de Dezembro, numa prova que, para além de ter por objectivo a promoção do Desporto e da Saúde, na região de Trás-os-Montes, terá, ainda, uma vertente social, com a realização de uma campanha de recolha de bens alimentares.

Segundo o Major Luís Leite Basto, do Regimento de Infantaria n.º 13, entidade impulsionadora da São Silvestre “RI13 – Cidade de Vila Real”, a prova virá “reanimar uma tradição antiga da cidade” e veio para ficar.

O mesmo responsável sublinhou a vertente social da prova, explicando que “as Escolas Secundárias de S. Pedro, Morgado Mateus, Camilo Castelo Branco, Diogo Cão e Monsenhor Jerónimo de Amaral foram convidadas a organizar-se em vários Bancos Alimentares, fazendo a recolha de géneros, entre todos os seus docentes e alunos, para posterior entrega a instituições de caridade da região, ficando, deste modo, associado o nome das Escolas e da S. Silvestre “RI13 – Cidade de Vila Real” a esta acção de beneficência.

A inscrição na primeira fase da São Silvestre (que engloba os escalões Benjamins, Infantis, Iniciados e Juvenis, de ambos os sexos) será realizada no dia 16, pelas 15 horas, é gratuita. No entanto, tendo como objectivo dinamizar ainda mais os bancos alimentares, a organização aceita a doação de géneros alimentícios não perecíveis.

Para a segunda fase da prova (destinada aos Juniores, Seniores, Veteranos I, II, III, IV e V, de ambos os sexos, e que será realizada, pelas 22 horas do mesmo dia) as inscrições terão um preço simbólico de cinco euros, ou em géneros alimentícios não perecíveis, de valor equivalente.

Direccionada a todos os amantes do desporto “desde as mais tenras idades até aos Veteranos”, o percurso da São Silvestre variará, de acordo com o escalão envolvido, bem como os prémios que atingirão os 1000 euros, para os primeiros classificados dos Seniores Masculinos e os 500 euros para os Seniores Femininos, entre muitos outros prémios monetários, para além da distribuição de troféus.

No final da prova, será sorteada uma viagem à Ilha da Madeira, para duas pessoas, com estadia incluída, por uma semana.

Para além do RI 13, a iniciativa conta com a organização da Câmara Municipal de Vila Real, da Delegação Distrital do Instituto Português da Juventude (IPJ), Instituto Nacional de Aproveitamento dos Tempos Livres dos Trabalhadores (INATEL) e Associação de Atletismo de Vila Real.

Luís Ferreira, Delegado do INATEL, em Vila Real, salientou a colaboração e a união entre as várias entidades, na organização da corrida, realçando que este tipo de parcerias deveriam acontecer, mais frequentemente, em outros tipos de iniciativas. Uma ideia corroborada por Paulo Pomar, Delegado Distrital do IPJ, que sublinhou, ainda, a importância do envolvimento das escolas e o facto de se ter associado a um evento desportivo uma campanha de solidariedade.

As inscrições para a corrida decorrem, até ao dia 10 de Dezembro, na sede das instituições organizadoras, sendo de realçar que a “Prova Rainha” contará com um percurso de dez quilómetros que começa no RI 13, seguindo para o Mercado Municipal, Escola de São Pedro, Avenida Carvalho Araújo, Avenida 1.º de Maio, Rotunda das Boxes, Complexo Desportivo de Codessais, Campo de Futebol de Abambres e Intermarché, passando, de novo, no Regimento de Infantaria e terminado na Avenida Carvalho Araújo, junto à Câmara Municipal de Vila Real.

 

Maria Meireles

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.