Quinta-feira, 20 de Janeiro de 2022
© Arquivo VTM

Operação “Natal e Ano Novo 2021” resulta em mais de 1.200 detenções

A GNR divulgou, esta manhã, o balanço global da operação que decorreu de 13 de dezembro de 2021 a 2 de janeiro de 2022. Neste período, foram detidas 1.213 pessoas. De um total de 4365 acidentes, há a lamentar 21 vítimas mortais

-PUB-

De acordo com o balanço da Operação “Natal e Ano Novo 2021” da Guarda Nacional Republicana (GNR) hoje divulgado, foram detidos 1.213 cidadãos em todo o território nacional, 669 por condução sob o efeito do álcool, 332 por condução sem habilitação legal, 77 por tráfico de estupefacientes, 42 por posse ilegal de armas e arma proibida e 31 por furto e roubo.

No total, foram fiscalizados 118.547 condutores e controlados 386.703 veículos, o que resultou em 30.240 contraordenações rodoviárias. Entre estas, destacam-se 1.292 por condução sob a influência do álcool, 8.677 por excesso de velocidade, 1.992 por falta de inspeção periódica, 991 pela incorreta ou não utilização do cinto de segurança ou de sistemas de retenção, 799 por utilização indevida do telemóvel durante a condução e 739 por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório.

No âmbito da legislação relativa à Covid-19, foram realizadas 7.030 ações de fiscalização aleatória, das quais 652 na fronteira terreste, num total de 41.095 veículos fiscalizados e 18 contraordenações aplicadas.

No que à sinistralidade rodoviária diz respeito, durante toda a Operação, de 13 de dezembro de 2021 a 2 de janeiro de 2022, a GNR registou “4365 acidentes, dos quais há a registar 21 vítimas mortais, 80 feridos graves e 1182 feridos leves”.

Ainda de acordo com o mesmo balanço da Operação, esta teve como principais objetivos “combater a criminalidade geral, intensificar o patrulhamento rodoviário e garantir o cumprimento das medidas necessárias à contenção da COVID-19, por forma a assegurar as festividades e as deslocações em segurança, no período em apreço”.

“Tratando-se de uma Operação de caráter abrangente, foram empenhadas várias valências das diversas Unidades da Guarda, numa ótica de complementaridade e de sinergia de várias ações de patrulhamento, fiscalização e sensibilização, de forma flexível, tendo sido o esforço de forma a combater a criminalidade em geral e a sinistralidade rodoviária, garantir a fluidez do tráfego e o apoio aos utentes das vias, bem como garantir o cumprimento dos normativos decretados na situação de calamidade, através de uma presença dissuasora, interventiva e preventiva”, frisou a GNR no mesmo documento.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.