Terça-feira, 27 de Julho de 2021

“Os jornais não transmitem vírus”

Ler e folhear os jornais não traz qualquer problema à saúde das pessoas, ao contrário do que tem sido difundido por alguns jornais ingleses, que recentemente avançaram com uma afirmação, atribuída à Organização Mundial da Saúde, que as notas de dinheiro e, por analogia, os jornais em papel seriam transmissores do novo coronavírus. 

-PUB-

Essa informação já foi desmentida pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Em comunicado, a porta-voz da OMS, Fadela Chaib, afirma que as palavras da OMS foram mal-interpretadas, pois nunca foi dito que o dinheiro “era um veículo de transmissão do novo coronavírus”. O que sucedeu foi que perguntaram se o dinheiro podia transmitir a Covid-19, tendo a OMS respondido que as pessoas deviam lavar as mãos depois de manusearem dinheiro. Mas isso como uma boa prática de higiene, e não por ser causa do novo coronavírus. Aliás, esta é uma prática que deve ser adotada quando se pega em qualquer objeto.

“Não há registo de qualquer caso de contaminação provocado pelo contacto com jornais e revistas em papel”, revela a Associação Portuguesa de Imprensa, acrescentando que a única coisa felizmente “contagiosa” nesse bom hábito, é a propagação de informação rigorosa e credível, ao contrário de muita da que circula nas redes sociais, que não tem a garantia de um sério tratamento jornalístico.

Em comunicado, a Associação Portuguesa de Imprensa recomenda ao público que continue a comprar e a ler jornais e revistas, em papel ou online.

Recomenda ainda que todos sigam as recomendações das autoridades de Saúde, designadamente a lavagem das mãos, de forma frequente e minuciosa.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.