Quinta-feira, 1 de Dezembro de 2022
0,00 EUR

Nenhum produto no carrinho.

Portugal tem cada vez mais interessados no jogo online

CONTEÚDO PATROCINADO

-PUB-

Os portugueses sempre gostaram de jogos de fortuna e de frequentar casinos. Estes espaços de diversão têm muita e variada oferta e, como tal, são muitas vezes sinónimos de uma noite bem passada com amigos ou até família.

Jogos como o totoloto, as raspadinhas ou até a lotaria de natal fazem parte do imaginário de qualquer adulto português e hoje, mais do que nunca, o jogo está próximo de cada um dos amantes desta atividade.

Com o desenvolvimento e a cobertura total de internet no nosso país, qualquer interessado pode aceder a partir do seu computador, tablet ou telemóvel a um dos inúmeros websites legais, ou então a uma aplicação de casino para passar uns minutos de diversão e muita é a oferta por parte das empresas para cativar os jogadores. Bónus de entrada, prémios a multiplicar ou receber jogadas grátis são algumas das inúmeras ofertas das casas para proporcionar uma excelente experiência aos utilizadores.

Um negócio que vale milhões de euros

Como já referimos, o gosto dos portugueses por este tipo de jogos é antigo e está bem vincado na nossa sociedade, sendo Portugal um dos países com maior volume de dinheiro jogado por pessoa.

Em média, e segundo um estudo conjunto da Escola de Medicina da Universidade do Minho e do Instituto de Investigação das Ciências da Vida e Saúde, cada português gasta 140 euros por mês em raspadinhas. Este valor recebe outra perceção quando comparado com Espanha, uma vez que os nossos vizinhos gastam 10% desse valor, ou seja, 14 euros.

Este valor dá para ter uma real noção da paixão pelo jogo, e não estamos a contabilizar nem os casinos físicos, nem outros jogos como o totoloto, totobola, euromilhões e as lotarias.

Uma nova forma de jogar

A pandemia de COVID-19 foi usada por muitas das empresas de casino como o momento certo para tornar os negócios físicos em digitais. Empresas como a Solverde.pt, por exemplo, apostaram muito em melhorar os seus websites e aplicação móvel e os resultados foram imediatos.

O período mais conturbado da pandemia, entre 2020 e 2021, foi quando a faturação dos casinos online teve o seu maior lucro. Em 2020, primeiro ano de COVID-19, a receita bruta das empresas cresceu para mais de 120 milhões de euros, uma subida de mais de 55% em relação aos valores de 2019.

© DR

No ano seguinte, o lucro das empresas foi ainda superior, com uma subida para valores a rondar os 135 milhões de euros, cerca de 111% a mais do que tinha sido os lucros pré-pandémicos.

O Serviço de Regulação e Inspeção de Jogos (SRIJ), entidade portuguesa responsável pela regulamentação dos casinos e dos jogos de fortuna, lançou o relatório trimestral relativo aos três primeiros deste ano e os indicadores são claros. Neste trimestre de 2022, existiu um aumento nas receitas das empresas do sector de 23,6%, comparativamente com os dados relativos aos primeiros três meses de 2021.

Segundo o SRIJ, os jogos preferidos dos portugueses nos casinos online são as slots machines, a roleta e o blackjack. Já nas apostas desportivas, o futebol é líder isolado, seguido do basquetebol e ténis.

 

 

 

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.