Sábado, 16 de Outubro de 2021

Presidente da câmara diz que falta reconhecimento nacional ao Património Agrícola Mundial

O presidente da Câmara de Montalegre afirmou que a classificação como Património Agrícola Mundial, em abril de 2018, trouxe "distinção internacional" ao Barroso, mas considerou que “falta o reconhecimento nacional”.

-PUB-

O Barroso, que se estende pelos municípios de Boticas e de Montalegre, distrito de Vila Real, foi o primeiro território português a integrar o Sistema Importante do Património Agrícola Mundial (GIAHS) e um dos primeiros a ser aprovado na Europa.

A classificação, anunciada em abril de 2018, é uma iniciativa da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) para a promoção e preservação do património agrícola.

Para o autarca de Montalegre, Orlando Alves, a “classificação trouxe distinção mas não trouxe visibilidade”.

“O balanço não é inteiramente positivo porque ainda não vi nenhum governante que quisesse vir fazer uma incursão na terra Património Agrícola Mundial”, salientou.

O “reconhecimento” da FAO é “uma honra muito grande”, no

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.