Quinta-feira, 7 de Julho de 2022

Protocolo com a Direcção Geral de Recursos Florestais

Fruto do bom relacionamento que existe entre o Exército e a Direcção Geral de Recursos Florestais e, particularmente, entre o Regimento de Infantaria n.º 13 e a Circunscrição Florestal do Norte (Núcleo Florestal do Douro), fazendo parte da missão da Direcção Geral de Recursos Florestais e havendo interesse evidente por parte do Exército, faz todo […]

Fruto do bom relacionamento que existe entre o Exército e a Direcção Geral de Recursos Florestais e, particularmente, entre o Regimento de Infantaria n.º 13 e a Circunscrição Florestal do Norte (Núcleo Florestal do Douro), fazendo parte da missão da Direcção Geral de Recursos Florestais e havendo interesse evidente por parte do Exército, faz todo o sentido a colaboração entre estas duas entidades, com vista a rentabilizar a utilização dos Prédios Militares 2 e 14 como áreas florestais, mantendo, sempre, como principal objectivo, a sua utilização como infra-estruturas de treino militar.

Assim, no dia 27 de Novembro, decorreu, na Sala de Honra do Regimento de Infantaria n.º 13, a cerimónia de assinatura de um protocolo entre estas duas instituições.

Com este protocolo, pretende-se implementar, nos referidos Prédios Militares, uma gestão adequada com vista a, de forma sustentada, melhorar as suas condições para o treino militar, constituindo-se, igualmente, como uma área experimental e exemplar de boas práticas, em termos de gestão florestal.

A conjugação de vontades e sinergias destas duas instituições que este protocolo traduz, procura ser, para além do mais, uma contribuição para esse imperativo nacional que é a preservação e desenvolvimento dos recursos florestais e que se consiga reduzir o flagelo dos fogos que, sistematicamente, têm afectado o nosso país.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.