Quarta-feira, 6 de Julho de 2022

Queda de poste arrastou operário para a morte

A queda de um poste em madeira, ocorrida em Carrazedo do Alvão, provocou a morte de um operário, de 47 anos de idade. A vítima, Leonel Melo, residia na zona do Calvário, em Vila Real. Ao que apurámos no local, junto de um elemento da empresa “Rodrigues e Taveira”, firma de Vila Real, para quem […]

A queda de um poste em madeira, ocorrida em Carrazedo do Alvão, provocou a morte de um operário, de 47 anos de idade. A vítima, Leonel Melo, residia na zona do Calvário, em Vila Real.

Ao que apurámos no local, junto de um elemento da empresa “Rodrigues e Taveira”, firma de Vila Real, para quem trabalhava o operário, este “ encontrava-se a altear uns fios de telefone, quando o poste a que estava preso, pela cintura, partiu, junto ao solo, arrastando-o na queda, acabando Leonel Melo por ficar debaixo do poste, aquando do impacto, no solo”.

Solicitada por populares, seguiu, para o local, uma ambulância dos Bombeiros Voluntários de Vila Pouca de Aguiar. A vítima ainda foi conduzida com vida ao Centro de Saúde de Vila Pouca de Aguiar, assistida, no caminho, por uma equipa médica da VMER do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro. Mas, nesta unidade de saúde, apesar de terem garantido que a vítima ainda se levantou, o operário acabaria por falecer.

O apodrecimento da base do poste de madeira tratada estará na origem do acidente.

Leonel Melo era solteiro e, segundo fonte da empresa, “esta tem seguro, contra acidentes de trabalho”.

O caso está a ser alvo de investigação pela Inspecção Geral do Trabalho.

O corpo foi removido para a Delegação do Instituto de Medicina Legal, do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, onde foi autopsiado.

 

Jmcardoso

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.