Segunda-feira, 15 de Agosto de 2022

Rampa da Porca de Murça volta a “acelerar”

As curvas de Murça voltarão a ser o palco neste fim de semana de todas as emoções do desporto automóvel. Ao fim de três anos de ausência, esta competição mítica do calendário nacional de velocidade regressa em grande e vai contar para o Campeonato Nacional de Montanha. A Câmara de Murça e o Clube Automóvel do Minho, CAMI, estabeleceram uma parceria que tornaram possível a realização dessa competição que conta com a participação de mais de 30 pilotos.

-PUB-

Os bólides vão no domingo voltar às curvas de Murça e cumprir uma das provas do calendário nacional da FPAK de montanha. De características únicas em termos de traçado, a sua realização já está a despertar muito interesse na região e mesmo a nível nacional. Um dos grandes entusiastas para este regresso foi o presidente da Câmara Municipal de Murça, José Maria Costa, cuja vontade encontrou eco no Clube Automóvel do Minho, que é a entidade organizadora. “Fiz questão de recuperar a Rampa da Porca de Murça e a sua denominação porque tem identidade com o concelho. Após alguns anos de interrupção, o Município de Murça e o CAMI resolveram reativar a Rampa Porca de Murça. Este ano, a prova vai contar para o Campeonato Nacional de Montanha e já conta com mais de 30 inscritos”.

O autarca referiu que este evento não surgiu de forma isolada. “Esta iniciativa insere-se no âmbito de todo um conjunto de iniciativas de promoção do concelho de Murça. A prova foi das mais importantes a nível nacional, teve bastante impacto, e nós não podíamos ignorar isto, por isso entendemos recuperar a prova ao fim de 3 anos. Também tivemos um incentivo através da Associação de Pilotos, nomeadamente através do Joaquim Teixeira”.

Neste regresso da competição, José Maria Costa salientou a ação da Estradas de Portugal. “Para que fosse possível realizar a prova, a Câmara contactou com a Estradas de Portugal, EP, que se disponibilizou a fazer a desmatação das valetas e a reposição ao nível do asfalto. Quero salientar a forma disponível e rápida como a EP atuou”.

Sinuosa ao longo de cerca de 3 km e inserida num local de paisagens magníficas, a prova não oferece grandes perigos para o público. “A segurança das pessoas é uma questão pacífica dada a existência de taludes altos e locais com bastante visibilidade, onde o público pode assistir à prova com bastante segurança. Estão também a ser colocados rails de proteção para aumentar os índices de segurança, mas aqui dos próprios concorrentes”.

O autarca acrescentou à nossa reportagem que o público presente terá a particularidade de visualizar praticamente todo o troço competitivo. “É um formato serpenteado que permite que a prova seja quase toda visualizada”, observou.

A prova começou em 1994 e “rapidamente ganhou um lugar no calendário nacional de velocidade. A seguir às corridas de Vila Real, a de maior cariz”, realçou.

Quanto ao futuro, a intenção é continuar mas sempre em parceria. “O futuro da rampa da Porca de Murça pode ser assegurado com uma nova dimensão estruturada e gostava de manter esta prova sem grandes investimentos”.

Sobre os custos, José Maria Costa deu a entender que são pouco significativos. “Para o município traz alguns custos que podem chegar a cerca de 5.000 euros, o que é pouco considerando que o retorno ultrapassa imensuravelmente este pequeno investimento”.

 

Calendarização

da competição

 

Esta prova pontuável para o Campeonato Nacional de Montanha tem algumas alterações como o fecho de pista mais tarde (9h00) para que o público possa deslocar-se para o meio do traçado. Os locais de vedação do acesso à pista a partir das 9h00 também este ano foram alterados, sendo o de acesso à partida a cerca de 300 metros, e o de acesso à chegada a cerca de 250m.

No sábado, a partir das 14h30, desenrola-se as verificações técnicas e administrativas, e entre as 17h30 e as 21h30 existe uma exposição de todas as viaturas de competição com uma sessão de autógrafos promovidos pelos pilotos no Parque Urbano da Vila de Murça.

As subidas de treinos e de prova iniciam-se pelas 09h30 de domingo, dia 6 de julho.

Este ano, os principais participantes do Campeonato Nacional de Montanha concorrem com as suas espetaculares viaturas, conforme lista anexa.

De salientar que, este ano Murça terá dois pilotos da terra, o pai Joaquim Teixeira ao volante do Seat Leon Supercopa, e o filho, Daniel Teixeira, que fará a sua primeira prova oficial ao volante de um Renault Clio RS 2000, da equipa Marsh Go.

Espera-se muita competitividade e emoção durante estes dois dias de prova. Os Bombeiros Voluntários de Murça vão estar presentes no parque de assistência com uma viatura, onde vão receber contribuições em combustível ou dinheiro, dos participantes e de todos quantos entendam que devem apoiar a causa de um “Portugal sem fogos”.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.