Segunda-feira, 4 de Julho de 2022

Relógio de sol e espigueiro embelezam as portas da vila

O Município recuperou um espigueiro do Século XIX, tornando-o, agora, um dos mais belos exemplares existentes na região do Tâmega. Tem quase trinta metros de comprimento e pode acolher mais de vinte e cinco carros de milho.   As rotundas de entrada da vila de Ribeira de Pena têm, agora, uma outra atractividade. O Município […]

O Município recuperou um espigueiro do Século XIX, tornando-o, agora, um dos mais belos exemplares existentes na região do Tâmega. Tem quase trinta metros de comprimento e pode acolher mais de vinte e cinco carros de milho.

 

As rotundas de entrada da vila de Ribeira de Pena têm, agora, uma outra atractividade. O Município local decidiu colocar nelas motivos alegóricos relativos ao património cultural e histórico do concelho: um relógio de sol e um canastro. Iniciativas que, segundo o Presidente da Câmara Municipal de Ribeira de Pena, Agostinho Pinto, “vêm na sequência de uma vontade da edilidade em preservar os usos e costumes tradicionais de Ribeira de Pena e transformá-los em testemunhos da memória viva da população do concelho”.

Assim, na circular para Cerva, foi colocado um “canastro” ou “ espigueiro” em granito, invulgar, dada a sua volumetria. Este bonito exemplar da ruralidade do concelho de Ribeira de Pena foi recuperado, pelo Município, e deslocado, peça por peça, da Quinta de Boucinhos, propriedade da edilidade. Este espigueiro tem um tamanho pouco comum. Possui três lanços. Doze metros de comprimento e capacidade para vinte e cinco carros de espigas. A sua construção assenta em pilares de granito que permitem o arejamento das espigas e, ao mesmo tempo, impede o acesso de pequenos roedores. Na sua recuperação, foi respeitada toda a traça, levando o seu telhado uma reparação. No seu espaço envolvente, ajardinado, serão colocados pontos de luz direccionados para a estrutura do espigueiro do Século XIX.

Já próxima da A7, uma outra rotunda exibe, também, uma outra referência do concelho: um relógio de sol. O exemplar ali colocado é uma belíssima obra de arte em granito e transmite, a quem o observa, a sua utilidade, na altura em que servia para as medições do tempo. Este exemplar foi feito por um artesão, residente em Seixinhos, na freguesia de Cerva. Ao todo, existem, espalhados pelo concelho, vinte e dois relógios de sol.

 

Jmcardoso

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.