Terça-feira, 19 de Outubro de 2021

Sabroso, 0 | Vila Real, 3

Depois da vitória para a Taça AFVR, por dois a zero, frente ao Santa Marta de Penaguião, o Vila Real continua a senda vitoriosa e, desta vez, foi até Sabroso de Aguiar somar mais três pontos, num jogo que dominou e venceu sem grande dificuldade.

-PUB-

Num autêntico dia de Inverno, com muito frio e chuva, em Sabroso de Aguiar, o primeiro e o último classificado encontraram-se com motivações diferentes. Para o Vila Real, o único resultado que lhe interessava era a conquista dos três pontos, já o Sabroso procurava conquistar pontos para dar outro alento à equipa que luta pela manutenção.

Apesar do terreno de jogo se encontrar empapado e em péssimas condições para a prática desportiva, as duas equipas tentaram proporcionar um bom espectáculo, mas isso não foi possível, mesmo assim, a luta e entrega foi total por parte dos atletas. Como lhe competia, os forasteiros entraram mais determinados na procura da baliza contrária, já os donos da casa ficaram um pouco na expectativa para ver do que seria capaz o seu adversário. Não foi fácil planear jogadas de ataque, já que a chuva era intensa e o pelado não respondia à intempérie e à água que se acumulava, o que em nada facilitou a tarefa das equipas. Pouco a pouco, os vila-realenses começaram a controlar as operações e o jogo tinha agora um sentido único: a baliza à guarda de Gabriel. Aos 15’, Bessa aparece em boa posição na área e remata para a baliza, mas a bola foi travada por uma poça de água, quando já se festejava o golo, decorria o minuto 15. No entanto, aos 24’, Bessa vão mesmo inaugurar o marcador, numa oferta de Gabriel. Há um cruzamento na esquerda para o primeiro poste, Gabriel deixa a bola escapar e Bessa aproveita bem a falha do guarda-redes para fazer o primeiro golo da tarde. A vencer, os visitantes baixaram o seu ritmo de jogo e o Sabroso tentou chegar mais vezes à baliza de Cabreca. O remate mais perigoso para os donos da casa aconteceu aos 40’, numa jogada simples, que culminou com o remate de Duarte, mas a bola saiu por cima do travessão. A vantagem dos alvi-negros ao intervalo justificava-se, já que foi a equipa mais perigosa e que mais oportunidades criou.

Na segunda metade, o Sabroso tentou contrariar o maior poderio do adversário, mas, em lances rápidos de contra–ataque, o Vila Real foi mais perigoso e mais eficaz. Apesar de ter dado mais espaço ao adversário no centro do terreno, os vila-realenses não facilitaram no sector mais recuado, apostando nas rápidas transições ofensivas. Num desses lances, aos 56’, Mico levanta para a área, Azevedo aparece solto na cara de Gabriel, mas falha aquele que parecia ser um golo certo. No entanto, pouco depois, Azevedo não falhou e aumentou a vantagem. Numa desmarcação perfeita, o jovem vila-realense foge aos defesas locais e, só com o guarda-redes pela frente, atira colocado e faz o segundo golo para a sua equipa. Com uma vantagem confortável, o técnico Abel Ferreira fez alterações já a pensar no jogo a meio da semana com o Alijoense.

O Sabroso arriscou na procura de reduzir a desvantagem, mas encontrou uma defesa atenta e um Cabreca seguro entre os postes. Já perto do final da partida, o Vila Real vai voltar a marcar, numa jogada rápida de contra-ataque, onde Henrique coloca em Miguel Ângelo que não teve dificuldade em bater Gabriel pela terceira vez, estabelecendo o resultado final.

Num terreno sempre difícil, o Vila Real conquistou mais uma vitória e segue agora ainda mais confortável no topo da classificação, já que o seu adversário directo deixou dois pontos nas Pedras Salgadas. O Sabroso lutou com as poucas armas que tem, para tentar contrariar o maior poderio do seu adversário, mas encontrou do outro lado uma equipa que continua inspirada na luta pelo seus objectivos.

O árbitro, João Cabral, e seus auxiliares merecem uma nota alta, num jogo muito correcto de ambas as equipas, onde não teve necessidade de mostrar nenhum cartão.

 

Nuno Pereira, treinador-adjunto do Vila Real

“Apresentamos uma boa qualidade e organização de jogo”

O técnico-adjunto vila-realense referiu que a sua equipa foi a justa vencedora, num jogo onde as condições meteorológicas não ajudaram em nada o espectáculo.

“Apesar das condições adversas, o Vila Real teve uma atitude muito positiva e conseguiu superar todas as dificuldades que encontrou pela frente. Conseguimos uma excelente vitória, com uma boa qualidade e organização de jogo, onde os nossos jogadores mostraram muito empenho e dedicação e, por isso mesmo, estão de parabéns”. Confrontado com o empate do Montalegre nas Pedras Salgadas, Nuno Pereira foi peremptório ao afirmar que apenas estão preocupados com o seu próprio trajecto. “Vamos fazer o nosso trabalho, seguir o nosso caminho, de forma a alcançar os nossos objectivos. Claro, que estamos atentos ao que se passa à nossa volta, mas o mais importante é a nossa equipa e os jogos que temos pela frente. No próximo jogo esperamos dificuldades acrescidas, mas a nossa intenção passa sempre por conquistar os três pontos, seja qual for o adversário”.

 

Carlos Borges, treinador do Sabroso

“Pretendíamos conquistar pontos, mas isso não foi possível”

O técnico local sublinhou que a sua equipa fez o que pôde para travar o líder da prova, no entanto, não apresentou argumentos suficientes para conquistar um resultado positivo.

“Perante estas condições climatéricas, podemos considerar que foi um bom jogo de futebol. Para nós, foi um jogo muito complicado, já que o Vila Real vinha na sua máxima força e não pretendia perder pontos. Nós tentamos contrariar o maior poderio do adversário, pretendíamos conquistar pontos, mas isso não foi possível, como espelha o resultado final. A situação na tabela está cada vez mais difícil e temos que tentar pontuar pelo menos nos jogos em casa para sair da situação em que nos encontramos. Hoje, isso não foi possível, vamos já pensar no próximo jogo de forma a procurar um resultado positivo”.

 

Ficha Técnica

 

Jogo disputado no Campo da Avenida, em Sabroso de Aguiar.

Árbitro: João Cabral

Auxiliares: Ângelo Borges e Raul Maia

SABROSO – Gabriel, Toni, Pio (Vítor, 51’), Nuno, Duarte, Mota, Júlio, Roque, Sousa (Maurício, 75’), Shoio (Caniggia, 66’), Marco.

Suplentes não utilizados: Hugo, Pascal e Keko.

Treinador: Carlos Borges.

VILA REAL – Cabreca, Filipe, Abreu, Kobe, Peixoto (Norberto, 66’), Francis, Castanha, Mico, Bessa, Bouças (Henrique, 45’), André Azevedo (Miguel Ângelo, 66’).

Suplentes não utilizados: Ivo, Nunes, Tiago e Coutinho.

Treinador: Abel Ferreira.

Ao intervalo: 0 – 1

Marcadores: Bessa (24’), André Azevedo (63’), Miguel Ângelo (85’).

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.