Sábado, 28 de Janeiro de 2023
No menu items!
0,00 EUR

Nenhum produto no carrinho.

Sucatas estão na mira dos larápios

Em três aldeias do concelho de Ribeira de Pena, foram roubadas quatro viaturas abandonadas e já prontas para irem para a sucata. Este furto de velhos automóveis não é único, na região de Trás-os-Montes e Alto Douro. No alvo dos larápios, têm estado alguns carros abandonados e em fim de vida que, depois de furtados, […]

-PUB-

Em três aldeias do concelho de Ribeira de Pena, foram roubadas quatro viaturas abandonadas e já prontas para irem para a sucata. Este furto de velhos automóveis não é único, na região de Trás-os-Montes e Alto Douro. No alvo dos larápios, têm estado alguns carros abandonados e em fim de vida que, depois de furtados, são desmantelados, sendo aproveitadas as suas peças de cobre e ferro, as quais são vendidas, ao quilo. Os responsáveis desta vaga de furtos são indivíduos ligados à indústria do ferro velho que depois os “comercializam”, com sucateiros.

No concelho de Ribeira de Pena, só numa noite, desapareceram quatro automóveis que já estavam referenciados pela autarquia e prontos para serem encaminhados para uma unidade de recolha e transformação de sucata, para uma unidade de compactação, enfardamento de automóveis e tratamento de pneus e óleos, em Chaves. Ao que apurámos, terá sido utilizado, nestes furtos, um reboque, para carregamento das viaturas, com a participação de mais de um indivíduo.

O Presidente da Câmara Municipal de Ribeira de Pena, Agostinho Pinto, confirmou os furtos, satirizando, mesmo, com o facto: “Agora, o concelho está limpo de carros velhos”, acrescentando: “Não sabemos quem foram os autores do roubo. As autoridades estão a averiguar”.

As viaturas desapareceram das aldeias de Vilarinho, Portela de Santa Eulália e Bustelo. Neste momento, existem, em Trás-os-Montes, duas unidades de recolha e compactação: uma em Chaves, outra em Mirandela.

De referir que os carros abandonados na via pública ficam sob a alçada das Câmaras Municipais. Cumpridos os preceitos legais, são enviados para um Centro de Recepção ou para um operador de desmantelamento. Estima-se que cerca de 150 mil carros deixem de circular, por ano, entrando, depois, no “mercado negro” das sucatas, já que ficam sem o respectivo Certificado de Destruição.

Recentemente, a Câmara Municipal de Vila Real anunciou que irá criar uma zona específica, para as viaturas abandonadas.

 

Jmcardoso

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.