Terça-feira, 15 de Junho de 2021

Transmontanos estão cada vez mais velhos vivem mais tempo e casam menos

Nesta edição, a Voz de Trás-os-Montes dedica especial atenção aos fenómenos demográficos na sua área de intervenção.

-PUB-

Os transmontanos são cada vez menos, estão mais envelhecidos, casam menos, mas têm mais esperança de vida. Estes são alguns dados divulgados pela Pordata e retratam a evolução demográfica nas três Comunidades Intermunicipais da região (Alto Tâmega, Douro e Terras de Trás-os-Montes). 

Nos últimos 10 anos, o território perdeu 33.625 pessoas. Se em 2010 éramos 420.215 residentes, no final de 2018 o cenário era de apenas 386.590, um número dramático que a todos deve preocupar. Portugal também perdeu população, uma vez que em 2010 tinha 10.573.100, em 2018 esse número baixou para 10.283.822 residentes no país.

ALTO TÂMEGA

Os dados do Alto Tâmega, que abrangem seis municípios (Boticas, Chaves, Montalegre, Ribeira de Pena, Valpaços e Vila Pouca de

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.