Quarta-feira, 6 de Julho de 2022

Turismo vai criar mil e cem postos de trabalho

Nos próximos anos, serão criados cerca de mil e cem postos de trabalho, no Douro, graças aos vários investimentos previstos para a região. Estes números foram anunciados, anteontem, pelo Secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade, na altura da inauguração das novas instalações da Escola de Hotelaria e Turismo de Lamego. O membro do Governo […]

Nos próximos anos, serão criados cerca de mil e cem postos de trabalho, no Douro, graças aos vários investimentos previstos para a região.

Estes números foram anunciados, anteontem, pelo Secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade, na altura da inauguração das novas instalações da Escola de Hotelaria e Turismo de Lamego. O membro do Governo sublinhou, ainda, o investimento de oitenta e seis milhões de euros, para projectos financiados ao abrigo dos Programas Integrados Turísticos de Natureza Estruturante de Base Regional (PITER II). Aposta na qualidade do ensino e profissionalismo no sector também foram outras apostas, ali deixadas pelo responsável governativo.

Por sua vez, o Presidente do Instituto de Formação Turística, Jorge Umbelino, defendeu que a nova estrutura “deve preconizar um ensino adequado ao tecido empresarial existente”, cujo sector, realçou o mesmo, “deve abrir-se aos profissionais do sector”, reconhecendo que “o Douro tem falha de recursos humanos, na área hoteleira e de restauração”.

Bernardo Trindade anunciou que, a partir de Junho, a Região Norte e, por arrastamento, o Douro, “serão servidos por mais doze rotas aéreas”.

A construção deste complexo escolar, em Lamego, representou um investimento de 6,8 milhões de euros, tendo uma capacidade de formação de 300 alunos e sendo composto por três elementos, internato, escola e hotel de aplicação.

 

Jmcardoso

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.