Segunda-feira, 4 de Julho de 2022

Vencimento do novo gestor da Adega Cooperativa é garantido pela autarquia

Adega Cooperativa contrata Vice-Presidente da Câmara   No seu segundo mandato, como Vice-Presidente da Câmara Municipal de Murça, Mário Artur Lopes deixou o seu lugar, na autarquia, para ocupar a posição de gestor da Adega Cooperativa, cargo que será financiado pela própria autarquia que, anualmente, concederá uma verba de 49 mil euros, para a organização […]

Adega Cooperativa contrata Vice-Presidente da Câmara

 

No seu segundo mandato, como Vice-Presidente da Câmara Municipal de Murça, Mário Artur Lopes deixou o seu lugar, na autarquia, para ocupar a posição de gestor da Adega Cooperativa, cargo que será financiado pela própria autarquia que, anualmente, concederá uma verba de 49 mil euros, para a organização dos vitivinicultores.

 

A “profissionalização da gestão” da Adega Cooperativa de Murça é o objectivo de um protocolo, entre aquela instituição e a Câmara Municipal de Murça, a qual, segundo o documento, concederá um subsídio anual, de 49 mil euros, para a contratação de um gestor, cargo que já é ocupado, desde de Setembro, por Mário Artur Lopes.

“Esta foi uma decisão pessoal do doutor Mário Artur” – frisou João Teixeira, Presidente da Câmara Municipal de Murça que viu o seu Vice-Presidente abandonar o cargo autárquico, para ocupar o lugar de gestão, na Adega Cooperativa.

Segundo o edil, o convite ao agora ex-Vice-Presidente foi feito pela própria Adega, no âmbito de uma deliberação da autarquia que previa a disponibilização de um apoio financeiro àquela instituição, para a contratação de um profissional que orientasse a sua gestão financeira.

Afastando qualquer possibilidade de mal-estar, dentro da Câmara Municipal, João Teixeira garante que a escolha de Mário Artur Lopes foi da inteira responsabilidade da Adega Cooperativa e surgiu depois da atribuição do subsídio, pela autarquia (que aconteceu em Julho).

A trabalhar na Adega, desde o início de Setembro, Mário Artur Lopes contará com um salário mensal de dois mil e 900 euros. “Nos 49 mil euros previstos pelo protocolo, está incluído o necessário, para cobrir outras despesas da Adega Cooperativa”, explicou o novo gestor, adiantando que, para já, está a elaborar um diagnóstico sobre a situação da Adega, para, depois, delinear uma estratégia de acção.

Manuel Pereira, da Direcção da instituição cooperativa, fez o retrato da crise da Adega que representa cerca de 800 produtores, contabilizando que, actualmente, as dívidas da instituição chegam aos seis milhões de euros.

“Desde há muitos anos que a gestão da Adega é feita por amadores”, recordou o mesmo responsável, adiantando que sempre houve vontade, por parte da Direcção, em contratar um gestor profissional.

Mário Artur Lopes, antes de concorrer à Câmara Municipal de Murça, como Vice-Presidente da lista de João Teixeira, teve várias anos de experiência, no sector da Gestão de Adegas Cooperativas, tendo integrado, até 2001, os quadros de gestão de várias instituições, como, por exemplo, a Unidouro.

 

Maria Meireles

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.