Sexta-feira, 30 de Setembro de 2022

Vila Pouca de Aguiar aposta numa escola “democrática, justa e solidária”

O início de um novo ano escolar foi assinalado na inauguração que decorreu em Vila Pouca de Aguiar, e que juntou pais e agentes educativos.

-PUB-

A sessão, que iniciou com homenagem aos colaboradores aposentados no ano letivo 2021/2022, contou com o discurso do Presidente da Câmara, Alberto Machado e do Diretor do Agrupamento de Escolas, Paulo Pimenta. 

Paulo Pimenta, que abraça um novo desafio na vida profissional, assegura que “apesar da mudança na direção do agrupamento de escolas de Vila Pouca de Aguiar, esta continua empenhada numa escola democrática, mais justa e mais solidária”. Algo que Paulo Pimenta não quer é perder alunos, pelo que vai “manter uma forte aposta no ensino profissional. Queremos evitar a fuga de alunos para concelhos vizinhos, daí a importância de termos uma oferta formativa diversificada”. 

Numa parceria conjunta entre o agrupamento de escolas e a câmara municipal, que fez uma candidatura a fundos comunitários, surgiu a possibilidade de realizar obras de melhoramento nos edifícios do agrupamento, no valor aproximado de 750 mil euros. 

Ana Carolina, uma das professoras do agrupamento, espera que este seja “um ano abençoado, que tenhamos muito sucesso, que tenhamos uma equipa forte, coesa, que haja interajuda e, fundamentalmente, que haja muita união”.

Já o presidente da câmara, Alberto Machado, apresentou algumas medidas do município para o ano letivo 2022/2023, como os passes gratuitos até ao 10º ano e isenção total/parcial a alunos do secundário com escalão e o investimento de 300 mil Euros com o transporte de todos os alunos do concelho, e mostrou o agrado com o sucesso escolar dos mais carenciados. “Que honra, que orgulho, que pudemos ter, mais uma vez, este ano, ao termos conhecimento que a escola de Vila Pouca de Aguiar foi a escola do país, primeira escola do país no âmbito do sucesso escolar dos alunos carenciados”, remata.  

 

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

COMENTAR FACEBOOK

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.