Domingo, 19 de Setembro de 2021
© DR

Vitória sorriu nos descontos

Montalegre, 1 | Pevidém, 0

-PUB-

Entrou melhor o conjunto minhoto, com segurança a defender e a jogar bem pelas alas. O Montalegre iniciou a partida com ansiedade e receio do adversário, que foi a equipa revelação do Campeonato de Portugal na temporada passada. Ao minuto 7, Costinha cabeceia bem e obriga Márcio Rosa à defesa da tarde. Dez minutos volvidos, Adílson Vaz salva, por duas ocasiões, a equipa transmontana. A partir dos 25 minutos, o Montalegre equilibra a contenda e o jogo foi dividido até ao intervalo.

Na etapa complementar, foi o Pevidém quem teve a primeira oportunidade de golo. Num livre direto, Costinha dispara, a bola desvia na barreira e quase trai o guarda-redes Márcio Rosa. Só na última meia hora é que os barrosões se aproximaram da baliza de Preto. Primeiro, num disparo de Rúben Neves, que acaba por sair por cima do alvo. O Montalegre cresceu muito com as alterações e passou a ter mais frescura e dinâmica. Aos 79’, a melhor jogada de envolvimento de ataque do Montalegre culmina com remate desenquadrado de Samate. Joãozinho, o ex-Vitória de Guimarães B, entrou muito bem, revolucionou o ataque e, aos 83’, está perto de um grande golo. Foi ele também que apontou o livre perfeito para cabeceamento letal de Zack. O senegalês é inteligente e felino na procura do espaço e deu o triunfo aos barrosões. Antes de terminar a contenda, o Pevidém falha um golo debaixo da baliza, atirando ao ferro. O Montalegre foi mais eficaz e feliz, mas, se houvesse empate, não seria injusto.

O treinador do Montalegre, José Viage, fala de “um adversário com uma capacidade enorme. “Na primeira parte, o Pevidém esteve por cima do jogo. Na segunda parte, o jogo foi completamente diferente. O Montalegre cresceu, mexemos na equipa e melhorou substancialmente. Grande jogo de futebol, com uma entrega fantástica. A vitória caiu para o nosso lado, podia ter caído para o lado do Pevidém”.

Já João Pedro Coelho, treinador do Pevidém, lamenta o desaire e diz que os minhotos mereciam mais. “Com exceção dos últimos 10 minutos, tivemos o jogo sempre controlado, sempre por cima e sempre mais perto de o vencer. Não estamos satisfeitos com o resultado, mas o que conta é os golos”.

 

FICHA TÉCNICA

Jogo no Estádio Municipal de Fafe

Árbitro: André Neto (AF Vila Real)

Auxiliares: David Barbosa e Israel Lopes

MONTALEGRE: Márcio; Quattara, Carvalho, Adilson e Zack; João Fernandes (Samate, 65’), Luan e Rúben Neves (Babá, 77’); Zangão (Joãozinho, 65’), Beto (André Martins, 75’) e Angola (Miguel Ângelo, 75’)

Treinador: José Manuel Viage

PEVIDÉM: André Pinto; Emanuel, Vasco Cruz, João André e Chico (Apolo, 61’); Sérgio Duarte, Pedrinho e Tiago Vieira; Luís Filipe (Totas, 61’), Costinha (André Sousa, 77’) e Tiago Ronaldo

Treinador: João Pedro Coelho

Ao intervalo: 0-0

Cartões amarelos: Rúben Neves (26’), Carvalho (27’), Costinha (31’), Vítor Cruz (35’), Adilson (59’), Sérgio Duarte (65’), Angola (67’), Apolo (85’), Emanuel (92’) e André Martins (97’)

Marcador: Zack (94’)

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO.
APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

ÚLTIMAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.