Segunda-feira, 4 de Março de 2024
No menu items!

“Portugal precisa de mudar de caminho rapidamente”

500 Maiores Empresas: Armindo Monteiro, presidente da Confederação Empresarial de Portugal, fala dos desafios futuros da economia portuguesa. A CIP representa 150 mil empresas, que empregam 1,8 milhões de trabalhadores, com um volume de negócios que representa 71% do PIB nacional.

-PUB-

Foi eleito em março para presidente da CIP. Como está a correr este novo desafio?

Têm sido tempos muito agitados e muito exigentes, até por razões pouco habituais, como tem sido público nos últimos dias. Logo que entrámos, iniciámos o processo que conduziu à apresentação do Pacto Social. Foi um trabalho intenso e meticuloso que envolveu todas as nossas equipas e uma parte considerável dos nossos associados. Foi um processo colegial muito participado. O nível de exigência só podia, por essa razão, ser elevado. Portugal precisa de mudar de caminho rapidamente e esta equipa partiu para esta empreitada com a noção exata da urgência deste processo. Ou construímos uma economia capaz de criar mais valor acrescentado ou receio que o futuro nos reservará más notícias.

Da visão global que tem como empresário experiente, o que falta à economia portuguesa para ter um crescimento sustentável e não as intermitências que se verificam há vários anos?

Demos saltos relevantes nos últimos 50 anos, é sempre importante ter noção desse caminho. O nível de vida dos portugueses subiu, melhorou, há menos pobreza e mais oportunidades. Penso, no entanto, que não chega. Passámos tantos anos a competir pelo baixo preço que nos convencemos que era a única coisa que sabíamos fazer. Claro que não é verdade. Temos várias empresas competitivas em setores de elevado valor acrescentado e temos de ter mais e mais ainda. Não há magia nenhuma nisto, simplesmente, temos de investir em setores de ponta, já que é aí que está a maior fatia do valor. As nossas universidades formam pessoas de elevada qualidade, o que significa que tendo nós a massa cinzenta é uma questão de os setores público e privado fazerem esse caminho com mais convicção.

Artigo exclusivo PREMIUM

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é PREMIUM,
Aceda à sua conta em

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

VÍDEOS

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.