Segunda-feira, 16 de Maio de 2022

60.083 infeções e 139 mortes entre 12 e 18 de abril

Portugal registou, entre 12 e 18 de abril, 60.083 casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, 139 mortes associadas à covid-19 e uma redução de 14 doentes em cuidados intensivos, indicou hoje a Direção-Geral da Saúde (DGS)

Segundo o boletim epidemiológico semanal da DGS, em relação à semana anterior, registaram-se mais 706 casos de infeção, verificando-se ainda uma redução de nove mortes na comparação entre os dois períodos.

Quanto à ocupação hospitalar em Portugal continental por covid-19, a DGS passou a divulgar às sextas-feiras os dados dos internamentos referentes à segunda-feira anterior à publicação do relatório.

Com base nesse critério, o boletim indica que, na última segunda-feira, estavam internadas 1.207 pessoas, mais 35 do que no mesmo dia da semana anterior, das quais 46 doentes em unidades de cuidados intensivos, menos 14.

De acordo com os dados da DGS, a incidência a sete dias estava, na segunda-feira, nos 583 casos por 100 mil habitantes, tendo registado um ligeiro aumento de 1% em relação à semana anterior, enquanto o índice de transmissibilidade (Rt) do coronavírus SARS-CoV-2 estava no 1,00.

De acordo com a DGS, a faixa etária entre os 40 e os 49 anos foi a que apresentou maior número de casos a sete dias (9.928), seguida das pessoas entre os 50 e os 59 anos (8.900), enquanto as crianças até 9 anos foram o grupo com menos infeções (2.862) nos sete dias referidos.

Dos internamentos totais, 605 foram de idosos com mais de 80 anos, seguindo-se a faixa etária dos 70 aos 79 anos (267) e dos 60 aos 69 anos (144).

A DGS contabilizou ainda 11 internamentos no grupo etário das crianças até aos 9 anos, nove dos 10 aos 19 anos, 12 dos 20 aos 29 anos, 21 dos 30 aos 39 anos, 40 dos 40 aos 49 anos e 73 dos 50 aos 59 anos.

O boletim refere também que, nestes sete dias, morreram 99 idosos com mais de 80 anos, 28 pessoas entre os 70 e 79 anos, oito entre os 60 e 69 anos e quatro entre os 50 e 59 anos.

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

Homem encontrado morto em casa

PREMIUM

Um lar a que todos chamam casa

Homem morre em colisão

Homem morre afogado em Valdanta

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.