Sábado, 2 de Julho de 2022

A “Missão do Douro” iniciou funções

O Auditório da Delegação do Douro do Instituto Portuário dos Transportes Marítimos, na Régua, foi o palco do acto público para o início de funções da Estrutura de Missão para a Região Demarcada do Douro. À sua frente, estará Ricardo Magalhães. Estiveram presentes, na cerimónia, os Secretários de Estado do Ordenamento do Território e das […]

O Auditório da Delegação do Douro do Instituto Portuário dos Transportes Marítimos, na Régua, foi o palco do acto público para o início de funções da Estrutura de Missão para a Região Demarcada do Douro.

À sua frente, estará Ricardo Magalhães. Estiveram presentes, na cerimónia, os Secretários de Estado do Ordenamento do Território e das Cidades, João Ferrão, e o Secretário de Estado Adjunto e da Justiça, José Conde Rodrigues. Ambos apelidaram Ricardo Magalhães de “Homem do Douro”. Este, na sua intervenção, deixou no ar já algumas ideias que vão nortear a sua acção. Uma delas passa por apresentar uma proposta, ao QREN, que abranja todas as Câmaras Municipais da região do Douro, a fim de rentabilizar os investimentos comunitários.

Acabar com a burocracia no Douro também é uma das metas a atingir pelo Chefe de Missão do Douro.

“Encontrar consensos, em torno do trabalho” será uma outra finalidade, garantindo que não terá medo das adversidades.

Na altura, foi assinado um protocolo, entre a CCDR-N e o Instituto de Gestão Financeira e Patrimonial da Justiça, dada a cedência da Casa dos Magistrados de Peso da Régua, onde será instalada a sede e os serviços da Estrutura

A Unidade de Missão do Douro foi criada em Agosto de 2006 e pretende dinamizar acções para o desenvolvimento integrado da Região Duriense, articulando os diversos organismos.

 

Jmcardoso

-PUB-

APOIE O NOSSO TRABALHO. APOIE O JORNALISMO DE PROXIMIDADE.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo regional e de proximidade. O acesso à maioria das notícias da VTM (ainda) é livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta A Voz de Trás-os-Montes e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente e de proximidade, mas não só. É continuar a informar apesar de todas as contingências do confinamento, sem termos parado um único dia.

Contribua com um donativo!

Mais lidas

A Imprensa livre é um dos pilares da democracia

Nota da Administração do Jornal A Voz de Trás-os-Montes

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Subscreva a newsletter

Para estar atualizado(a) com as notícias mais relevantes da região.